Feira do Cacareco vai arrecadar recursos para projeto de compostagem em Palhoça

Os mais variados objetos doados ou dispensados em lixeiras ganham destinação digna e valiosa: a viabilização de um novo projeto da Associação Pro-Crep (Criar, Reciclar, Educar e Preservar), em Palhoça. Roupas, calçados, acessórios, utensílios domésticos, aparelhos eletrônicos, brinquedos e o que chegar recebem cuidado e limpeza e são colocados à venda no brechó e na loja do cacareco.

Feira do Cacareco na sede da Associação Pró-Crep – Divulgação/ND

O valor arrecadado vai para a manutenção da associação e para o projeto de compostagem que está sendo implantado no Instituto Caminho do Peregrino, na Praia da Pinheira em Palhoça, dedicado ao tratamento de dependentes químicos. No sábado, 24, será realizada uma feira onde o preço único será de R$ 1,00, independente do tipo de peça.

A compostagem é um dos fins desse novo projeto da Pró-Crep. A associação adquiriu um triturador de podas que irá gerar o composto que será utilizado nas leiras de compostagem. Mas antes disso, troncos e galhos de árvores serão retirados das ruas evitando o acúmulo de pontos de lixo.

“Às vezes a pessoa não tem onde colocar as podas e deposita num terreno baldio. Então outra pessoa vê aquele entulho e se anima a deixar uma quantidade de lixo no local, que em pouco tempo estará ocupado por resíduos”, explicou Ana Paula Wenddigen, da associação.

É um ciclo sustentável. As podas que se acumulam como lixo em locais inadequados que, portanto, podem gerar problemas de saúde – com a proliferação de mosquitos e roedores – e insegurança – facilitando o esconderijo de criminosos – serão transformadas em composto orgânico que será utilizado na horta do Instituto Caminho do Peregrino. O composto também será vendido para a manutenção da associação.

A feira da Pró-Crep será realizada no sábado, 24, das 8h às 14h, na sede da associação na Praia da Pinheira.

A Associação Pró-Crep tem 30 associados – Divulgação/ND

Tudo se aproveita

A Pró-Crep tem 30 associados que trabalham com a coleta de recicláveis, triagem e compactação dos fardos que são vendidos à empresas de reciclagem. O valor arrecadado, após deduzidas as despesas, é partilhado de forma igualitária entre os membros da associação.

Os objetos coletados que não são destinados à reciclagem também passam por triagem e podem ir para o brechó ou para a loja de cacarecos. “Aqui nós reaproveitamos tudo de alguma forma”, afirma Ana Paula.

As peças de vestuário, calçados, acessórios e afins vão para o brechó. Pratos, talheres, panelas, geladeiras, televisores e uma infinidade de objetos ganham a loja de cacarecos como destino.

O que está com defeito é comprado por quem trabalha com consertos, como técnicos em refrigeração ou eletrônica. A peça que estiver arranhada ou com algum pedaço quebrado passa por uma pequena restauração feita pelos associados e é posta à venda.

O brechó e o bazar funcionam de segunda a sexta-feira na sede da Pró-Crep.

Leia também:

Comunidade faz vaquinha on-line para ajudar Associação 

Meio Ambiente