Fique atento e evite as vasculites

O recado é do cirurgião vascular, Dr. Ricardo Rizzo Luiz. “A vasculite é um tema relativamente novo, inclusive para os angiologistas e cirurgiões vasculares, e somente atualmente, por meio de exames mais complexos, como por exemplo com microscópios mais potentes (microscopia eletrônica) pudemos aprender mais”, conta.

Dr. Ricardo – Foto: Divulgação

Segundo Dr. Rizzo, a vasculite significa, literalmente, uma inflamação dos vasos sanguíneos. “São diversas doenças que se apresentam por inflamar os vasos, podendo levar, inclusive, à morte alguns desses vasos (necrose) e se apresentam de formas variadas”, explica.

Vários fatores já foram identificados como causa, sendo os mais comuns as infecções por bactérias, vírus e protozoários. Mas drogas ilícitas como heroína e cocaína já foram identificadas como causa. Também as drogas lícitas (remédios) como as penicilinas e outros antibióticos já foram identificadas como agentes causadores das vasculites. Mas há ainda vasculites causadas por uma reação do próprio corpo (reações autoimunes) e aquelas que não têm causa ainda identificada.

De olho nos sintomas

Os sintomas variam bastante. Febre sem causa determinada, fadiga (cansaço), perda do apetite, suor noturno, dor nas articulações, mal-estar, dor muscular, pressão baixa (hipotensão), lesões de pele (manchas vermelhas, úlceras). As lesões podem acontecer em todas as partes do corpo. Pode ainda iniciar com a morte de uma parte do corpo (necrose), mais comum em extremidades – dedos.

Vasculite pernas – Foto: Divulgação

Uma das vasculites que mais frequentemente causa a necrose de extremidades é a Tromboangeite Obliterante, que também é conhecida por Doença de Buerger. Neste caso quem origina a doença é o tabaco (presente nos cigarros, charutos, cachimbos e narguilé), acomete na maior parte das vezes homens entre 30 e 40 anos. O tratamento passa pelo abandono do vício, mas em casos já avançados pode levar à necroses e amputações.

Tratamento depende da causa

De forma geral, o tratamento das vasculites depende da identificação do agente causador, para tratar de acordo, além do uso de anti-inflamatórios, medicamentos vasodilatadores e analgésicos. Pode ser necessário ainda usar medicamentos anticoagulantes. Pode ser preciso ainda realizar cirurgias convencionais ou endovasculares. Contudo, as vasculites podem ser graves e não responder bem ao tratamento.

“Por isso, não fumar, evitar infecções, evitar o uso de drogas ilícitas e ser orientado quando da necessidade de uso de antibióticos é fundamental para prevenir as vasculites. O acompanhamento com o especialista é também vital para aqueles que se depararem com feridas nos braços, pernas ou dedos”, alerta o cirurgião vascular.

 

Edição: Alessandra Cavalheiro / Jornalista / Mtb 9775

Saiba Mais:

WhatsApp: 55 (48) 3247-5158

https://www.drricardorizzoluiz.com/

Mais conteúdo sobre

Saúde Mais