Condomínio em Palhoça apresenta problemas estruturais

Paredes, lajes e muros apresentam fendas em prédios populares de Palhoça

Há menos de três anos o pedreiro Gelson Luiz Moraes, 59, adquiriu a casa própria. Saiu de São José para morar com a mulher e o filho no condomínio Roma, em Palhoça. Ele foi construído com o programa federal Minha Casa, Minha Vida pela construtora Montesiro e tem financiamento da Caixa Econômica Federal. O contentamento da família Moraes diminuiu quando fissuras surgiram pelas paredes da nova moradia. O mesmo problema atinge outros dois prédios também de quatro apartamentos. Os proprietários temem que a construção desabe devido ao avanço das fendas, algo que acontece nos últimos quatro meses.

Daniel Queiroz/ND

O morador André Luiz Garrido mostra as fissuras no muro

Na parede atrás da geladeira há fissuras. Nos cantos da sala também. A situação tira o sossego de Gelson e da mulher, a dona de casa Genessi Carpenetto, 57. “Realizei meu sonho depois de velho. Isso virou minha casa, meu tormento”, disse o pedreiro que busca uma resposta para o problema. Ele e os demais vizinhos se mobilizaram para que a situação seja resolvida. “Precisamos de um laudo técnico. Somente a análise de um perito dirá se o problema é estrutural”, apontou o empresário André Luiz Garrido, 31, que também mora no local. Ele teme pela segurança da família ao apontar as aberturas no quarto da filha Sophia, 3. Garrido pretende se mudar o mais breve possível. “Sei que a burocracia pode por nossas vidas em risco. Quero comprar um terreno e construir uma casa”, disse o morador que há cinco meses vive no edifício Roma. Nos três blocos moram dez famílias.

O vendedor Paulo José Melo, 27, mostra as aberturas na parede da sala e conta que, quando os vãos se abriram foi possível perceber que havia massa corrida dentro dos espaços. Ou seja, as fendas surgiram antes da entrega dos apartamentos e foram maquiadas pela construtora. “A laje está com problemas. Temos medo de ficar dentro de casa”, lamentou o morador que tem dois filhos menores de seis anos.

Construtora garante qualidade em página da internet

Segundo o morador Paulo José Melo, a Montesiro construiu e comercializou o empreendimento. “A empresa teria decretado falência, até onde sei. Mas como ela ainda constrói apartamentos na mesma quadra da minha casa?”, questionou. No site da Montesiro a empresa diz que desenvolve obras de qualidade com baixo custo, com projetos sólidos e de bom gosto. O alto padrão de acabamento também é destacado na página da internet. Até o fechamento desta edição nenhum dos diretores da empresa se manifestou sobre o caso. Um dos funcionários disse que os responsáveis estavam de férias e só falariam hoje com a imprensa.

Os moradores acionaram a Caixa Econômica Federal, que financia a compra dos imóveis. Foram encaminhados à seguradora e lá receberam orientação para fazer três orçamentos de material e outros três de mão de obra.  Em nota, a Caixa Econômica Federal informou que enviará um engenheiro ao local para verificar as condições dos prédios e que buscará uma solução para o problema. Na nota, a Caixa explica que mantém ainda um programa de controle de qualidade das moradias do programa Minha Casa Minha Vida.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...