Florianópolis aposta no bem-estar dos animais de estimação

Atualizado

Animais terão uma área para soltura dentro da Dibea a partir de março deste ano – PMF/Divulgação/ND

Seguindo a tendência de várias cidades pelo Brasil, Florianópolis tem apostado cada vez mais no bem-estar dos animais de estimação. Uma das ações nesse segmento é a implementação de pet places, locais públicos ou privados que permitem que os donos levem seu bichinhos para passear.

O poder público municipal não ficou para trás. Em 2018, a lei complementar nº 647 foi aprovada pelos vereadores e sancionada pelo prefeito Gean Loureiro, incluindo o artigo 75-B na Lei nº 1.224, de 1974. Esse artigo prevê espaços delimitados para cães em praças públicas. Os locais devem estar cercados, sinalizados e ambientados, além de proibir a permanência dos animais sem os donos, animais perigosos, no período do cio ou portadores de doenças infectocontagiosas.

As áreas são criadas por meio de parcerias público-privadas, sem ônus para a prefeitura. Com mais de 90 praças na cidade, ficou mais fácil ter áreas verdes e ao ar livre para passear os bichos de estimação.

Na capital catarinense, o primeiro pet place ao ar livre foi disponibilizado a pedido de moradores na Praça Governador Celso Ramos, no bairro Agronômica, há cerca de quatro anos. Os equipamentos foram colocados por uma empresa privada que adotou a praça e fez a alegria de donos e seus animais. Nos 154 metros quadrados, os cães podem fazer exercício e andar livremente com seus donos.

Novo Casa (Centro de Atenção a Saúde Animal), para animais resgatados na capital catarinense, será entregue em março deste ano – PMF/Divulgação/ND

Outro espaço com área pet é a Praça Getúlio Vargas, mais conhecida como Praça dos Bombeiros. Depois, o Parque de Coqueiros, na parte continental de Florianópolis também aderiu. E, em 2018, foi criado o Pet Place Jurerê, no Norte da Ilha, cuja utilização é gratuita e aberta a todos.

Nesses espaços, os cães podem gastar energia e socializar com outros animais, enquanto os donos aproveitam para almoçar ou fazer alguma atividade física. Além disso, os três shoppings e outros estabelecimentos comerciais, como cafeterias, tornaram-se pet friendly, acolhendo os animais que acompanham seus proprietários nas saídas de lazer.

Agora, a prefeitura está levando o pet place para dentro da Dibea (Diretoria de Bem-estar Animal). “Estamos construindo dezenas de pet places pela cidade. Mas faltava uma área de soltura para os animais abrigados na Dibea, por isso eles também terão um grande espaço para brincar enquanto aguardam adoção”, diz o prefeito Gean Loureiro.

A área fica dentro do novo  Casa (Centro de Atenção a Saúde Animal), que será entregue em março deste ano. No novo Centro também estão previstos novos consultórios, equipamentos, ampliação das salas de cirurgia e recuperação, além de melhorar as condições de acolhimento no canil e gatil.

Normas e cuidados

Os pet places devem observar as normas da Vigilância Sanitária e os donos precisam manter os cuidados básicos de seus animais. Para frequentar os espaços, os cães devem ter mais de quatro meses de idade e estar com a carteira de vacinação em dia, além de serem desverminados a cada três meses.

Segundo veterinários, gatos não devem ser levados a pet places porque é um ambiente estranho que ele não controla e gera stress. Somado a isso, as doenças virais dos felinos passam por contato oral podendo contaminar outros gatos.

Florianópolis resgatou 227 animais em 2017, 250 em 2018 e 382 em 2019. O gerente da Dibea, Marcelo Dutra Cunha, afirma que o aumento decorre de mudanças na equipe e da maior popularidade da instituição. Por outro lado, as adoções também aumentaram: foram 385 no ano passado, contra 201 em 2018, e 173 em 2017. Campanhas de conscientização fizeram crescer ainda o número de castrações: 4.032 em 2019; 4.532 em 2018; e 3.664 em 2017. A Dibea tem capacidade para abrigar 140 animais, na sede localizada na SC-401, no Itacorubi.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Prefeitura de Florianópolis