Florianópolis lança plano de desenvolvimento para os próximos dez anos

A Prefeitura de Florianópolis apresentou na manhã desta quinta-feira (10), no gabinete do prefeito Gean Loureiro (MDB), o primeiro plano estratégico que vai funcionar de forma sistêmica para alavancar os principais setores da cidade com base no turismo e na tecnologia. O PEDEM (Plano de Desenvolvimento Econômico Municipal) foi elaborado em parceria com o Sebrae e prevê ações de políticas públicas integradas para o desenvolvimento da cidade nos próximos dez anos.

Prefeito cita programa Juro Zero como exemplo de iniciativa inovadora - Cristiano Andujar/Divulgação/ND
Prefeito cita programa Juro Zero como exemplo de iniciativa inovadora – Cristiano Andujar/PMF/ND

O projeto mapeou cinco eixos estratégicos que demandam políticas e ações públicas: Turismo Comércio, Economia Criativa e do Mar; Tecnologia da Informação e Comunicação; Tecnologia em Saúde e Bem Estar; Nanotecnologia e Novos Materiais; e Energia.

“O ano de 2018 foi o ano que o município mais arrecadou ISS, passando o valor arrecadado pelo IPTU. Isso mostra que a cidade pode sim atrair novos investimentos”, disse o prefeito Gean Loureiro apontando para as parcerias firmadas entre o setor público e a iniciativa privada como um passo importante do projeto.

“O plano é uma ferramenta que mostra que a cidade de Florianópolis é um ambiente seguro de investimento e que apresenta um potencial de crescimento ainda maior, com mais oportunidades e igualdade social. Com o mapeamento das fragilidades que o estudo apresenta, as ações para aprimoramento de cada uma das áreas estratégicas para o município serão mais efetivas e com bons resultados”, completou Gean.

A iniciativa faz parte do programa Cidade Empreendedora, realizado pela prefeitura de Florianópolis e Sebrae/SC trazendo para dentro do plano 54 demandas distribuídas nos cinco eixos estratégicos, sendo que 15 dessas já estão em andamento desde o ano passado.

Plano apresentará entregas a cada três meses

Pelo menos dez soluções que englobam áreas como nanotecnologia, prática esportiva, internet das coisas e geração de energia, entre outras, terão Florianópolis como uma espécie de laboratório para testes reais.

O objetivo é encontrar soluções para servir o poder público, mas também para o cidadão. Como por exemplo, o desenvolvimento de aplicações para monitoramento do trânsito ou a desburocratização do serviço público para a chegada de novos investidores na cidade.

Segundo Soraya Tonelli, coordenadora regional do Sebrae, o Plano é o pontapé inicial de um projeto que se renovará a cada ciclo. “A cada três meses teremos encontro já com entregas de resultados. A ideia é de que o plano não tenho um prazo de validade, mas que siga em conjunto com o Conselho de Desenvolvimento Econômico da cidade através dos fóruns criados dentro de cada eixo”, explicou.

O Plano funcionará como apoio ao programa Cidade Empreendedora, que incentiva a inovação, formalização, capacitação, mutirão de atendimento e de facilitação no acesso ao crédito

Gean Loureiro destacou como exemplo de inciativa o programa “Juro Zero Floripa”, que em pouco mais de um ano de funcionamento, concedeu cerca de 750 mil reais para mais de 195 empreendedores.

Novos negócios formam base

Em dois anos, a administração do município, por meio da Secretaria de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, realizou mais de 17 eventos abertos aos empreendedores em diversas comunidades do município, levou capacitação para mais de 1,5 mil empresários, 8 mil novos negócios abertos e cerca de 15 mil micro empreendimentos formalizados.

 “Os resultados são um reflexo de todas as ações e esforços que a Prefeitura tem feito para estimular o ecossistema de negócios de Florianópolis, que já é reconhecido em todo país, como referência no assunto”, afirma o Secretário de Turismo, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, Juliano Richter Pires.

Mais conteúdo sobre

Cidade