Fogo destruiu área equivalente a 500 campos de futebol na Serra do Tabuleiro, estima IMA

Atualizado

O incêndio que atingiu o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, em Palhoça, nesta terça-feira (10), destruiu uma área aproximada de 500 hectares – cerca de 5 milhões de m² ou 500 campos de futebol. A estimativa preliminar é do gerente de Áreas Naturais Protegidas do IMA (Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina), Aurélio José de Aguiar. Durante a madrugada, funcionários do parque calculavam uma perda de cerca de 100 hectares. Uma avaliação completa deve ser realizada após a conclusão do combate às chamas.

Arcanjo sobrevoou região na manhã desta quarta-feira – CBMSC/Divulgação/ND

Por volta das 8h30 desta quarta-feira (11), o Arcanjo identificou dois novos focos de incêndio na região. As chamas atingiram uma extensa área entre a praia da Pinheira e a BR-101. Elas começaram no final da tarde de terça e foram contidas após quase 15 horas de trabalho das equipes. Moradores, inclusive, tiveram que evacuar a região.

Segundo Carlos Cassine, coordenador do Parque Estadual Serra Tabuleiro, a extensão que as chamas atingiram e a dificuldade de acessar os focos de incêndio dificultaram a ação dos Bombeiros. “São muitos focos diferentes, o que indica que não foi algo natural”, afirmou.

Incêndio no Parque Estadual Serra do Tabuleiro durante a madrugada desta quarta – Corpo de Bombeiros/Divulgação/ND

O município de Palhoça decretou estado de emergência na região. Segundo a prefeitura, foram disponibilizados dois caminhões hidrojato e equipes da Samae para ajudar a controlar o fogo.

O trabalho de evacuação emergencial precisou ser realizado durante a madrugada de quarta. As pessoas retiradas foram alojadas nas casas de parentes. O local contém muitas construções de madeira.

Leia também

Servidores do IMA verificam as perdas na região – Eduardo Cristófoli/RICTV

Previsão é que clima seco persista

De acordo com Marilene de Lima, meteorologista da Epagri/Ciran, os ventos que atingiram o quadrante sul do Estado na terça contribuíram para a propagação do fogo. Já o ar seco que acometeu a região fez com que a vegetação ficasse mais suscetível ao incêndio.

A previsão para os próximos dias é de que a seca e a baixa nebulosidade persistam. “As regiões estão secas, com umidade baixa. Está prevista uma chuva isolada para a tarde de quinta-feira (12)”, afirmou Marilene. “Mesmo com a previsão de frente fria, não chega a trazer volume significativo”, completou. A meteorologista afirmou ainda que, na sexta-feira, as condições climáticas devem voltar àquelas registradas na terça.

* Com informações do repórter Eduardo Cristófoli, da RICTV.

Tempo