Foguetes atingem área perto de embaixada americana no Iraque

Atualizado

Três foguetes atingiram na noite desta segunda-feira (20) a Zona Verde de Bagdá (a mais segura do país), perto da embaixada dos EUA, informaram serviços de segurança, que não relataram vítimas. Desde o final de outubro, dezenas de foguetes foram lançados contra soldados e diplomatas americanos no Iraque, especialmente na Zona Verde de Bagdá. A autoria desses ataques nunca foi reivindicada, embora os EUA tenham atribuído vários deles a facções pró-Irã.

Foguetes atingem novamente região próxima a embaixada dos EUA no Iraque – Foto: Arquivo/Pixabay/Divulgação/ND

As ofensivas teriam justificado a morte do general Qassim Suleimani, em ataque com drone feito pelos EUA em Bagdá, no dia 3 de janeiro.

Leia também:

Em meio a tensões permanentes na região, o Irã disse nesta segunda (20) que não havia fechado a “porta para negociações” nos esforços para resolver uma disputa sobre seu acordo nuclear com potências mundiais. Tais esforços têm aumentado constantemente desde 2018, quando os EUA se retiraram do acordo de 2015.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Abbas Mousavi, afirmou que qualquer atitude de Teerã com relação ao acordo dependeria de ações de países europeus. Afinal, eles acionaram um mecanismo que pode levar à reimposição das sanções ao Irã.

Já a Organização das Nações Unidas (ONU) pediu também ontem a realização de reformas políticas urgentes no Iraque, 2 meses após a renúncia do primeiro-ministro Adel Abdel Mahdi e em meio à retomada de protestos que começaram em outubro. A enviada especial da ONU para o Iraque, Jeanine Hennis-Plasschaert, solicitou que não haja uma “repressão violenta” dos protestos de rua.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo com agências internacionais.

Mais conteúdo sobre

Mundo