Gilmar Mendes manda soltar empresário milionário preso em SC

A decisão aconteceu na sexta-feira, mas somente nesta terça (18) a notícia foi divulgada sobre a liberdade do empresário Antônio Venâncio Silva Júnior, o Venancinho, de tradicional família do Distrito Federal. As informações são do site Misto Brasília.

Venancinho foi preso por suposto envolvimento num esquema de desvio de recursos na Secretaria de Saneamento Básico de Navegantes, no Litoral Norte.

Antônio Venâncio Silva Júnior, o Venancinho, foi preso em SC – Reprodução

A decisão de soltar Venâncio Júnior foi do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes. A liberdade aconteceu um dia após o acusado ser preso. A assessoria de imprensa do STF não publicou a informação, como tradicionalmente acontece a partir das decisões dos 11 ministros.

“Ante o exposto, com base no artigo 21, V, do Regimento Interno do STF, defiro o pedido liminar para determinar a imediata suspensão do decreto de prisão temporária expedido pelo juiz de direito da Vara Criminal da Comarca de Navegantes (SC) com a soltura imediata de Antônio Venâncio Silva Júnior”, anotou o ministro.

Venâncio Júnior é sócio de 11 empresas – sete no Distrito Federal, duas em Santa Catarina, uma em Alagoas e uma no Rio De Janeiro. O capital social das empresas é de R$ 13.926.643,00. A primeira sociedade foi firmada em 07/12/1988.

Família é símbolo em Brasília

Venancinho, como é conhecido, é da família do cearense Antônio Venâncio da Silva, um dos maiores símbolos de Brasília. Quando morreu, no início desta década, deixou de herança mais de dez shopping centers, várias casas e uma fortuna que era avaliada em mais de R$ 400 milhões.

Ele disputou a fortuna com outros parentes. Casado com a socialite Maria Pia Marcondes Ferraz, enteada do Barão de Waldner, Venancinho decidiu se retirar dos holofotes a pedido da mulher, segundo uma reportagem da IstoÉ publicada em 2016.

Mais conteúdo sobre

Justiça