Governo 4.0: como o uso de indicadores orienta a gestão pública

Este conteúdo é oferecido por 1Doc, a plataforma da Softplan que está tornando os processos  mais eficientes nas prefeituras do Brasil. Se você trabalha com gestão pública e quer receber um diagnóstico da gestão no seu município, clique aqui e descubra como a ferramenta pode aumentar a eficiência e transparência na sua cidade.

“A vida não examinada não vale a pena ser vivida”. A frase do filósofo grego Sócrates entrega uma lição valiosa para a gestão pública. A sentença remete à importância da análise para identificar erros e aprimorar processos. Nesse cenário, a história mostra que os indicadores são cruciais para a tomada de decisões.

Para entender a importância do uso de indicadores na gestão pública, é necessário voltar alguns séculos e identificar os modelos de governo que se estabeleceram ao longo do tempo até chegar no momento atual em que os princípios da administração pública estão voltados para a eficiência do serviço prestado e satisfação dos usuários.

Nos últimos 5 séculos, três modelos de administração pública foram adotados no país: o patrimonial, o burocrático e o gerencial. O patrimonial surgiu no período colonial e se concentrava na figura de um soberano que tinha poder absoluto. A partir dos anos 30 surgiu o modelo burocrático para romper com a figura do soberano e separar a coisa pública da privada. Esse modelo visava profissionalizar o setor público e passou a utilizar princípios que são usados até hoje como impessoalidade, moralidade e legalidade.

Com o tempo, o modelo burocrático passou a se tornar engessado e foi substituído por um novo, o gerencial, que incorpora princípios da administração privada. Nesse modelo o usuário deixa de ser visto como um mero financiador da atividade pública. Assim como as empresas zelam pelo cliente, o modelo gerencial coloca o usuário do serviço público em primeiro lugar.

Esse modelo de administração que segue vigente é voltado para gerar resultados ao cidadão e deve pautar todas as ações da administração pública.

Tecnologia e indicadores: aliados do governo 4.0

Ao saber que o modelo gerencial é voltado para o resultado, o uso de indicadores se torna crucial, afinal, não há como identificar os resultados sem o uso de parâmetros de aferição. Nesse contexto, a tecnologia é uma aliada, especialmente no momento atual em que a internet já está na quarta geração e as soluções online se multiplicam.

Atualmente, na Web 4.0, o armazenamento de dados, a internet sem fio e outros recursos permitem que as pessoas fiquem conectadas 24 horas e encontrem soluções em diversos aplicativos. É daí que surge o conceito de Governo 4.0, um governo conectado e que utiliza a tecnologia para oferecer soluções e qualidade na prestação de serviço.

A tecnologia tem facilitado cada vez mais o acesso a dados que são usados de diversas maneiras pelos gestores. Seja para analisar o desempenho das equipes ou para mensurar os resultados da gestão, todas as esferas de poder e entidades públicas e privadas fazem uso dos indicadores para a tomada de decisões.

“(O uso de dados) é de vital importância na gestão dos fluxos de processos, pois com os indicadores conseguimos medir a eficiência, engajamento e qualidade no atendimento das ações de cada setor”, afirma o diretor de Operações da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep) Riccelly Lacerda.

O diretor da Unidade de Serviços Gerais da Prefeitura de Americana Eduardo César Samogim Spilla diz que o uso de dados é referência para as ações de todos os setores das diversas secretarias de um governo.

Samogim Spilla explica que a tomada de decisões num caso de ação de combate à dengue é pautada por dados. “Às vezes você tem um foco de dengue numa área e às vezes você tá atacando uma outra, então aquele indicador te leva para uma região que necessita mais”, diz.

A gestão na área de educação também é citada como exemplo. As vagas nas creches são distribuídas conforme a demanda. “Às vezes você avalia uma necessidade de creche em uma área que você não estava planejando, pois estava planejando em outro lugar em que a demanda não seria tão urgente”. Os dados mostram onde agir.

1Doc: a ferramenta que entrega a solução

Nem sempre os gestores públicos têm acesso às melhores ferramentas do mercado. Por desconhecimento das tecnologias disponíveis podem utilizar sistemas que engessam as demandas e vão na contramão da eficiência. Atentos a essa dificuldade comum na gestão pública, o especialista em comunicação para órgãos públicos Jeferson Castilhos e o desenvolvedor Jaison Niehues criaram uma plataforma que entrega tecnologia conectada com os anseios dos gestores de governos da era 4.0.

A ferramenta chamada 1Doc foi desenvolvida em Santa Catarina e já está presente em mais de 100 cidades brasileiras. Na plataforma, os indicadores medem a eficiência do serviço prestado, o grau de engajamento dos servidores com as demandas e o índice de satisfação dos usuários que utilizam os serviços. No sistema 1Doc, os gestores conseguem acompanhar online os processos desde o protocolo até a resolução da demanda.

Na prefeitura de Americana, em São Paulo, a equipe de gestão do governo fez uma longa pesquisa para identificar qual o melhor sistema para a gerir os processos da cidade. Foi através da análise de resultados da 1Doc em outras cidades que a equipe de Americana decidiu implantar o novo sistema no município.

Indicadores pautam decisões na Prefeitura de Americana (SP), que iniciou a implantação de novo sistema na administração municipal – Foto: Arquivo Prefeitura Municipal de Americana/Divulgação

A eficiência do trâmite de processos e os indicadores com diagnóstico do andamento das demandas que a 1Doc fornece chamaram a atenção da equipe diretiva de Americana, o que foi determinante para o investimento na tecnologia. “Nós fizemos o processo licitatório e estamos na pré-implantação”, diz Samogim Spilla, que calcula em 40 dias a conclusão da implementação do novo sistema.

Na Paraíba, a Cinep também adotou a plataforma 1Doc. Com a adesão, o órgão passou a ter novos indicadores de avaliação do desempenho e da evolução do trâmite das demandas. Conforme Lacerda, a adoção da tecnologia representou a abertura da companhia para uma nova fase conectada à tecnologia para a entrega de soluções.

Centro Histórico e comercial de João Pessoa, capital da Paraíba: órgão do governo implantou novo sistema para qualificar a gestão – Foto: Arquivo Governo de Paraíba/Divulgação

“O (sistema) 1Doc foi a nossa primeira iniciativa no caminho da modernização da Companhia. Nos próximos passos, iremos transformar todas as informações da CINEP em sistemas de informação. Iremos realizar a integração entre os diversos bancos de dados internos e externos a CINEP, adotar Inteligência artificial e Blockchain”, diz.

Quer descobrir como a 1Doc pode revolucionar a gestão de processos na sua cidade? Clique aqui e receba um diagnóstico gratuito.

Mais conteúdo sobre

Bora tirar do papel?