Governo do Estado e prefeitura de Florianópolis incentivam uso de máscaras caseiras

Atualizado

Governo do Estado e prefeitura de Florianópolis oficializaram nesta segunda-feira (06), através de portarias, a regulamentação da utilização de máscaras caseiras, como importantes aliadas na prevenção e combate ao novo coronavírus. Os atos oficiais apenas referendaram uma recomendação feita na última semana pelo Ministério da Saúde para fazer o direcionamento das máscaras profissionais (cirúrgicas e N-95) para os profissionais de saúde, e ao mesmo tempo promover mais uma barreira para evitar a disseminação do vírus.

Gean Loureiro e Paraná fazendo uso de máscaras. Reprodução Facebook Live PMF

Com uma máscara, e ao lado do secretário municipal de Saúde, Carlos Alberto Justo da Silva, o Paraná, o prefeito Gean Loureiro (DEM) anunciou a medida a ser publicada no Diário Oficial. “A portaria assinada pelo secretário de Saúde recomenda a utilização de máscaras domésticas em todo território, principalmente aquelas pessoas que necessitarem sair de casa para trabalhar nos serviços essenciais”, declarou Loureiro.

Santa Catarina tem 417 casos de coronavírus, afirma governo do Estado

Para o secretário municipal de Saúde, o uso da máscara é uma forma de distanciamento social. “Você se protege e protege aquele que você está atendendo, que está na sua frente”, explicou.

Coletiva do governo do Estado nesta segunda-feira. Reprodução Facebook Live GovSC

Também protegido com máscara durante a entrevista coletiva diária de atualização da crise provocada pelo coronavírus, o secretário de Estado da Saúde, Helton Zeferino, anunciou que a portaria publicada pelo governo do Estado trará orientações para o uso e fabricação de máscaras caseiras.

O governador Carlos Moisés enfatizou a necessidade do uso do equipamento de proteção. “As notícias que nos vem pela utilização de máscaras são notícias boas. Então, nós não vamos arriscar por descrença”, disse. Moisés destacou um fator importante da utilização da máscara. “Quando você utiliza, você lembra que está em estado de absoluta vigilância. A máscara te avisa o tempo todo da manutenção de distâncias, te traz um comportamento social que vai te ajudar muito”, explica.

Até então, o uso de máscara era incentivado apenas para pessoas em estágio gripal, cuidadores de idosos e profissionais de saúde, já que o equipamento impede a disseminação de gotículas infectas. De acordo com nota técnica divulgada pelo departamento de gestão clínica da Prefeitura de Florianópolis, as máscaras caseiras devem ser utilizadas em situações onde é preciso sair do isolamento social para compra de medicamentos, ou uma ida ao supermercado.

Recomendações

As máscaras caseiras ou domésticas são de uso estritamente pessoal, não devendo ser compartilhada em hipótese alguma. Os tecidos recomendados para utilização como máscara são, em ordem decrescente de capacidade de filtragem de partículas virais: tecido de saco de aspirador, pano de prato, cotton (composto de poliéster 55% e algodão 45%), tecido de algodão (como camisetas 100% algodão), fronhas de tecido antimicrobiano, fronhas comuns de linho, cachecol/lenço.

Para higienização é preciso deixar imersa a máscara em solução com água sanitária (diluição: 1 parte de água sanitária para 50 partes de água. Exemplo: 10 ml de água sanitária para 500 ml de água) por 30 minutos. Antes de reutilizá-la, deixar secar bem. Após lavar a máscara, a pessoa deve higienizar as mãos com água e sabão.

Para ajuda da população em vulnerabilidade social, que muitas vezes não pode comprar esta proteção, ou não tem materiais para fazê-las, a rede solidária Somar Floripa está arrecadando materiais. A entrega de tecidos pode ser feita Passarela Nego, na Avenida Governador Gustavo Richard, 5000, Centro (aos cuidados de Daniel). Costureiras que queiram se voluntariar para produzirem máscaras com os materiais doados, poderão se cadastrar no link: bit.ly/somar-floripa-costureira-voluntaria.

A recomendação do Ministério da Saúde na última semana já mobilizou centenas de pessoas em todo o país para fabricação do equipamento. A auxiliar operacional da Comcap, Elaine Freitas da Silva, colocou em prática as orientações das autoridades de saúde e fez cinco máscaras para a família.

As máscaras foram feitas com o reaproveitamento de retalhos que tinha em casa. “Sempre faço alguma coisa de costura para passar o tempo, então vi o modelinho no YouTube e fiz”, conta ela, que pretende compartilhar as próximas unidades produzidas com com colegas dos roteiros de limpeza pública.

O uso de máscaras domésticas não substitui em hipótese alguma todas as outras medidas de higienização tais como lavagem das mãos, etiqueta da tosse. Se o cidadão da cidade apresentar quaisquer sintomas de coronavírus deve entrar em contato com o Alô Saúde Floripa pelo 0800-333-3233.

A máscara pelo mundo

A adoção de máscaras pode estar relacionada às orientações de governo, como estão fazendo o Ministério da Saúde, o governo do Estado e a prefeitura de Florianópolis, mas também com a cultura de cada país. Na Ásia, o uso do equipamento é quase padrão, em países como a China, Hong Kong, Japão, Tailândia e Taiwan.

No Japão, o número de casos até então reduzidos em relação aos vizinhos, é atribuído graças a utilização das máscaras, que já eram usadas principalmente na região de Tóquio, para minimizar os efeitos da poluição. Na China e Coréia do Sul, as pessoas foram encorajadas a usar máscaras e houve ampla distribuição delas. Na cidade de Daegu, primeiro foco da Coreia do Sul, o prefeito pediu a todos os cidadãos que ficassem em suas casas e usassem máscaras a todo momento.

Na Europa, a situação foi e é diferente. Em Madri, o apelo para que a população permanecesse em casa chegou quando já havia mais de mil pessoas infectadas e em nenhum momento se recomendou que pessoas saudáveis fizessem uso de máscaras, porque não havia provas de sua eficácia. Mas alguns países europeus começaram a adotar a medida recentemente.

Em 19 de março, a República Tcheca tornou obrigatório o uso de máscara para cobrir nariz e boca em espaços públicos. Como os equipamentos estão em falta, o governo também estimulou a produção de máscaras caseiras. A Áustria também anunciou a obrigatoriedade do uso de máscara em supermercados, enquanto a discussão da utilização de máscaras em locais públicos já começou a ser feita pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos.

Saúde