Governo esclarece, mas dúvidas persistem

A questão principal continua sendo a forma como a exoneração do delegado Cláudio Monteiro foi anunciada

Se a coletiva do secretário César Grubba serviu para confirmar aquilo que todos já sabíamos – que o delegado Cláudio Monteiro incorreu em erro administrativo quanto ao uso de diárias –, serviu também para reafirmar a impressão geral sobre a inabilidade governamental em gerenciar o caso. Principalmente porque prevalece a suspeita de que “arranjaram” uma questão interna para exonerar o delegado de suas funções na DEIC, enquanto sobram dúvidas sobre os reais motivos do afastamento. As dúvidas sobre o caso foram amplamente torpedeadas na RIC TV (Jornal do Meio-Dia) e na Rádio Record (Record em Ação) pelo delegado Renato Hendges, com quem o ex-diretor da DEIC, aliás, sempre esteve alinhado na luta por melhores salários para a Polícia Civil. Esse é apontado como motivo forte, entre outros, para que Monteiro fosse afastado do cargo. Porque, é claro, se o governo passar um pente-fino geral na questão das diárias, talvez não sobre pedra sobre pedra.

A forma

Ainda que o governo tenha razão quanto ao problema das diárias envolvendo Cláudio Monteiro, persiste a interpretação generalizada de que a forma – a exoneração logo após uma vitoriosa operação policial comandada pelo delegado – foi um desastre completo. Não poderia ter sido pior para uma área explosiva como a segurança pública.

Virtual e real

O ser humano é preguiçoso por natureza? A pergunta vem a propósito de um fato indiscutível: quase 30 mil pessoas formaram uma comunidade no Facebook para defender o delegado Cláudio Monteiro. E menos de 50 apareceram na frente da Secretaria de Segurança Pública, na segunda-feira (9) à tarde, para o protesto real contra a exoneração!

Violência…

O que a Polícia Rodoviária Federal flagra, em termos de infrações em Santa Catarina, é pouco diante do que vemos nas estradas todos os dias. Pelo que testemunhei no domingo (8), viajando para Itajaí (e, depois, voltando para Florianópolis), a única solução possível será o total monitoramento – com radares – das rodovias catarinenses.

… absurda

Simplesmente porque não há efetivo suficiente de patrulheiros para garantir a fiscalização em toda a extensão das estradas, em especial a mais perigosa delas, a BR-101. Motoristas imprudentes ou exibicionistas, alcoolizados ou drogados, que pisam fundo em seus veículos de luxo, desconhecem e debocham das leis e ameaçam a vidas de seus semelhantes.

Vantagem

Parece um contrassenso, mas é uma realidade: o excesso de veículos nas estradas reduz os acidentes graves e o número de feridos e mortos. Infelizmente, pista livre nas rodovias federais e estaduais significa grande risco para os usuários que trafegam respeitando as regras de trânsito.

Geringonça

Há testemunhas: cadeirante utilizou o equipamento apropriado para subir num ônibus da Transol, mas a plataforma recusou-se a voltar à condição de escada. Ato contínuo, o cobrador gritou para o motorista: “Pega a marreta e bate ali no canto que volta a funcionar!”. Dito e feito, 30 segundos depois a plataforma virava escada de novo.

* * *

A mesma testemunha observa que, outro dia, teve que trocar de ônibus porque a plataforma quebrou com o cadeirante entalado na geringonça.

Divulgação Jorge Dotti Cesa

Ambiente

Borboleta Coruja chega a medir 17 centímetros

Camuflagem…

Esta borboleta foi flagrada pelo engenheiro agrônomo Jorge Dotti Cesa na Trindade. “Com a crescente urbanização, resolveu descansar no pneu de um automóvel, em pleno trânsito de Florianópolis”, observa o engenheiro.

… da beleza

“A espécie (Caligo eurilochus brasiliensis) é conhecida como Borboleta Coruja, e considerada a maior do Brasil (sua envergadura, de ponta a ponta da asa, chega a 17 cm). Sua camuflagem consiste em parecer-se com uma folha e, quando ameaçada, assemelha-se a uma coruja, assustando seus predadores”, acrescenta.

Divulgação

Solidariedade

Iniciativa de voluntários na Praça 15 de Novembro

Páscoa solidária

Os moradores de rua de Florianópolis, que a cada domingo recebem uma refeição especial, sob a coordenação do Padre Vilson Groh, tiveram uma Páscoa diferente. Após o almoço, cada participante recebeu um ovo de chocolate, adquirido durante a campanha Páscoa Solidária, desenvolvida pelo voluntário Bruno Souza e que arrecadou mais de 200 ovos. Além dos moradores de rua, a campanha beneficiou as crianças do Lar Recanto do Carinho, Casa de Acolhimento Darcy Vitória de Brito – Monte Serrat e Promenor.

Maresia

Cidadão que passa diariamente pela Praça Getúlio Vargas, no Centro, está intrigado com a constante maresia na área do parquinho infantil. Diz ele que jovens usam parte do espaço para dar uns “tapinhas” na erva maldita. Fato, aliás, que é muito recorrente na região central. O detalhe, lembra o cidadão, é que a Praça Getúlio Vargas fica em frente ao quartel-general da Polícia Militar de Santa Catarina.

Leão

Dúvidas sobre o Imposto de Renda podem ser esclarecidas nesta terça-feira (10), às 19h, na sede da CDL Florianópolis, com o professor José Luiz da Silva, convidado pela entidade para esmiuçar as questões relativas à declaração anual das pessoas físicas. Entrada: achocolatado em pó ou biscoito.

Previdência

Presidentes e diretores de institutos de previdência de Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Bahia, Tocantins, Paraná, Paraíba e Rondônia, serão recebidos nesta terça-feira (10), no Iprev (Instituto de Previdência de Santa Catarina). Eles vêm debater a situação da previdência social nos regimes próprios e geral, os impactos nos Estados, e a previdência complementar como alternativa para diminuir o déficit previdenciário.

Desproporção

Morador da Rua Jau Guedes da Fonseca estima que há pelo menos um mês o tempo dos semáforos está desregulado; para o fluxo da Avenida Max de Souza (a geral de Coqueiros) a sinaleira fica aberta cerca de um minuto e quarenta e cinco segundos, enquanto para a Jau Guedes não passa de 12 segundos! “Extensas filas têm se formado na nossa rua, pois no máximo conseguem passar três carros, isso se os primeiros não demorarem muito para se locomoverem”, relata.

Passividade

“BR-101 Sul totalmente parada em todos os sentidos nos gargalos. Mais impressionante: nós brasileiros simplesmente assistimos sem reagir!”. Valter Schmitz, em seu Twitter (@valterSchmitz), registrando a situação da rodovia federal – cuja duplicação está atrasada – na noite de domingo (8).