Greve em Joinville: mais de 500 servidores aderiram à paralisação no primeiro dia

Atualizado

O primeiro dia de greve em Joinville, no Norte do Estado, nesta terça-feira (18), não afetou os serviços de atendimento à população.

Nova assembleia que deve definir novas ações da greve acontece na manhã desta quarta-feira (19) – Foto: Mauro Artur Schlieck/Divulgação

De acordo com a Prefeitura, pouco mais de 520 servidores aderiram à paralisação neste primeiro dia, o que representa menos de 4% do quadro geral de funcionários. Ainda segundo a Prefeitura, a greve gerou impactos pontuais, mas, de maneira geral, os serviços funcionaram normalmente sem prejuízo à população.

De acordo com o Sinsej (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região), houve mobilização nos locais de trabalho durante todo o dia. Além disso, o sindicato afirma que há grevistas em praticamente todos os setores da Prefeitura. “Há escolas, Cras, CAIC e Departamento de TI da Prefeitura com 80% a 90% de adesão”, garante.

Ainda segundo o Sinsej, a última sinalização por parte do município é para que haja reunião de negociação apenas no dia 16 de março. “A data está muito aquém do desejo da categoria, pois esse é um ano eleitoral e encurta o prazo para qualquer negociação. Tem a questão urgente do Ipreville e outras questões além das cláusulas econômicas a serem tratadas”, ressalta.

Entre as reivindicações dos servidores, está a revisão do aumento da alíquota de contribuição previdenciária, previsto para saltar de 11% para 14%. Além disso, os servidores pedem a realização de concurso público alegando defasagem no número de funcionários, o que prejudicaria o próprio atendimento à população.

Uma nova assembleia está marcada para esta quarta-feira (19), às 9h, na frente da Prefeitura. A nova reunião dos servidores deve definir as próximas ações da greve.

Leia também:

Servidores municipais aprovam início de greve para esta terça-feira (18) em Joinville

Política