Greve geral muda rotina do brasileiro em diferentes pontos do país

Atualizado

Várias cidades brasileiras sofrem os reflexos da greve geral contra a reforma da Previdência na manhã desta sexta-feira (14). Os protestos afetam especialmente os transportes nas grandes cidades. As informações são do portal R7.

Greve provocou trânsito na Via Expressa em Florianópolis – Anderson Coelho/ND

O parecer da reforma foi apresentado pelo relator, Samuel Moreira, na quinta-feira (13) em sessão na Comissão Especial da Reforma da Previdência.

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, o metrô não está funcionando, mas os ônibus circulam normalmente.

Houve bloqueio em rodovias, como os dois sentidos da ERS-122 entre Caxias do Sul e Farroupilha, na Serra. Neste local, manifestantes trancam trânsito por 10 minutos e depois liberam por 20 minutos.

Em Pelotas, as manifestações começaram por volta das 4h e a previsão é de que haja protestos no início da tarde. A previsão é de que os manifestantes se concentrem às 14h no Mercado Público e, em seguida, caminhada no centro de Pelotas.

Paraná

Em Curitiba, ônibus bloquearam ruas e garagens de empresas de transportes durante a manhã. Segundo o Sindimoc (Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana), 40% da frota amanheceu parada em Curitiba e 25% na Grande Curitiba.

Espírito Santo

No centro de Vitória, manifestantes interditaram o trânsito nos dois sentidos. Já na Terceira Ponte, duas vias foram fechadas logo no começo da manhã.

Distrito Federal

O metrô do Distrito Federal, de greve há 42 dias, está rodando com 70% dos trens em horário de pico e 30% fora dele. Também foi observada alta quantidade de ônibus e vans na rua fazendo transporte pirata.

A passagem neste tipo de transporte chega a R$ 10 em algumas lotações.

Por causa das dificuldades com os transportes, observa-se grande quantidade de veículos nas ruas, bem como o aumento de pequenos acidentes.

Paraíba

Em João Pessoa, os moradores enfrentam problemas no trânsito com ruas interditadas.

Pneus estão sendo queimados e os manifestantes usam veículos para também impedir a passagem do trânsito.

São Paulo

O sistema municipal de transporte público opera com 100% das 1.207 linhas previstas para a faixa horária das 6h, segundo a SPTrans, com 97% da frota de veículos em operação. Os 29 terminais municipais estão com operação de ônibus. Apesar da paralisação prevista para hoje contra a Reforma da Previdência, segundo a SPTrans, nenhuma operadora tem interrupção na saída da frota.

Técnicos estão nas ruas desde a madrugada, monitorando a operação do transporte público e orientando passageiros nos terminais e pontos estratégicos da cidade. De acordo com a SPTrans, houve o prolongamento e criação de linhas e reforço da frota.

Alagoas

Protestos em ruas e avenidas de Maceió impedem a circulação de veículos. Em Bebedouro, integrantes do Sindicato dos Trabalhadores na Educação (Sinteal) fecharam a Avenida Major Cícero de Góes Monteiro, em frente à Praça Lucena Maranhão, até por volta das 8h, quando foi negociada a liberação com a Polícia Militar.

Há bloqueio na Avenida Cachoeira do Meirim, no Benedito Bentes; na saída de Satuba em direção a Maceió; na BR-424, em Pilar; e há previsão de protesto para a Avenida Durval de Góes Monteiro, em frente ao Makro.

A ponte Divaldo Suruagy, que liga a Capital a Marechal Deodoro, e a entrada do Porto de Maceió foram fechadas no início da manhã, mas logo foram liberadas, com a ação da polícia.

Rio de Janeiro

Segundo a Metrô Rio, as linhas 1, 2 e 4 do metrô carioca funcionam normalmente na manhã desta sexta. Os trens da SuperVia também operam normalmente.

Também houve interdições em vias importantes da capital fluminense e o tempo de travessia da Ponte Rio-Niterói chegou a quase 1h30.

Bahia

O MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) realizou o fechamento da BR 235-Casa Nova, com cerca de 200 pessoas. O metrô opera normalmente em Salvador desde às 5h. Já os ônibus não operam nesta sexta. Como a frota convencional não está nas ruas, a prefeitura de Salvador autorizou a circulação do transporte escolar e do sistema complementar.

Os trens, que atuam no subúrbio ferroviário, assim como os ônibus, não estão circulando pela cidade. Há também bloqueio de avenidas importantes como a região da Rótula do Abacaxi e Acesso Norte, onde manifestantes impedem o acesso às vias pelos veículos desde o início do dia. A Polícia Militar tem atuado para tentar fazer com que as lideranças do ato liberem ao menos parte das vias, possibilitando o fluxo dos veículos.

A informação do Sindicato dos Rodoviários do Estado da Bahia é de que nenhum dos cerca de 2,7 mil veículos da frota regular deverá circular durante todo o dia.

Rio Grande do Norte

A Prefeitura de Natal informa que todas as empresas estão com ônibus em circulação, mas com frota reduzida. Segundo a gestão municipal, o Sistema de Transporte Coletivo deve operar com no mínimo 30% da frota.

Também será permitido que os veículos do serviço de transporte escolar, táxis, de transporte da região metropolitana e de turismo autorizados pelo Departamento de Estradas de Rodagens (DER) circulem no itinerário das linhas de ônibus.

Minas Gerais

O metrô de Belo Horizonte está totalmente parado. Além disso, algumas rodovias de Minas Gerais estão bloqueadas nesta sexta-feira (14). Outros serviços estão funcionando parcialmente, entre eles escolas e hospitais, mas balanços ainda não foram divulgados oficialmente.

Trânsito