Grupamento de Polícia de Choque da PMSC comemora oito anos com homenagens

O Grupamento de Polícia de Choque da PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina), comemorou oito anos de existência com uma solenidade realizada no ginásio do Centro de Ensino Técnico da PM, no bairro Trindade. Títulos honoríficos de “Amigo do Choque” foram entregues durante a cerimônia, que contou com a participação da banda da PM e autoridades da corporação.

O presidente executivo da RIC SC, Marcello Corrêa Petrelli, recebeu o título “Amigo do Choque” das mãos do subcomandante-geral da Polícia Militar, coronel PM Cláudio Roberto Koglin. “Ser reconhecido como Amigo do Bope nos enaltece e isso tem que ser repassado a todos nossos colaboradores que estão nas ruas transmitindo notícias para a sociedade. A Polícia Militar de Santa Catarina é diferenciada no que faz, que é proteger a sociedade”, declarou.

Presidente da RIC SC Marcello Corrêa Petrelli recebeu o título Amigo do Choque - Foto: Marco Santiago/ND
Presidente da RIC SC Marcello Corrêa Petrelli recebeu o título Amigo do Choque – Foto: Marco Santiago/ND

O empresário Paulo Geraldo Collares Filho também foi agraciado com o título. “É uma honra receber essa homenagem da corporação. O Choque é um efetivo policial que combate direto nas questões mais perigosas, e nós, como empresários, só temos a agradecer e contribuir, seguindo a ordem e a lei”, afirmou. O diretor do Beiramar Shopping, Antonio Carlos Scherer também foi homenageado. “É um honra receber essa homenagem, pois dependemos muito da atuação deles”, relatou.

O grupamento de Polícia de Choque foi criado em 3 de fevereiro de 2011, porém as atividades de polícia de choque na PMSC tem origem ainda na década de 70, com base no antigo Pelopes (Pelotão de Operações Especiais). Com a criação da nova unidade, foi retirada do BOPE todas as responsabilidades referentes ao controle de distúrbios civis, reintegração de posse e intervenção em estabelecimentos prisionais. “Oito anos é pouco. Passamos da inexistência para ser referência nacional. Não temos nenhuma ocorrência que venha a prejudicar a nossa imagem”, relatou o tenente coronel Mauricio Silveira, comandante do choque.

E o ano de 2019 será promissor para o Grupamento de Polícia de Choque, que irá receber um VLA (Veículo Lançador de Água), além de recursos de origem federal para blindagem nos seis veículos da unidade. “O VLA é um veículo específico, que oferece a possibilidade de minimizar os confrontos, com impacto muito mais aceitável para a sociedade”, relata Silveira.  Sediado em Florianópolis, o Grupamento de Polícia Choque conta atualmente com 76 policias militares, também chamados na corporação de “choqueanos”.

Mais conteúdo sobre

Cidade