Grupo RIC doa 3.000 exemplares de caderno sobre a história de Cruz e Sousa para escolas da Capital

A história dos 150 anos do poeta simbolista catarinense Cruz e Sousa estará eternizada nas escolas municipais e universidades de Florianópolis. O caderno especial de 24 páginas “Hei de deixar nome” que conta todos os momentos do poeta foi encartado na edição do último final de semana do Jornal Notícias do Dia e, para completar a comemoração, o Grupo RIC doou 3.000 exemplares para a Fundação Franklin Cascaes. A instituição se encarregará de entregar o caderno nos centros de ensino.

Reprodução/ND

Capa do caderno especial sobre Cruz e Sousa

Capa do caderno especial sobre Cruz e Sousa

“Trata-se de um material de grande importância para a nossa história que precisa ser muito bem aproveitado por nossos estudantes”, sintetizou a superintendente da Fundação, Roseli Maria da Silva Pereira. Todas as escolas do município receberão edições do caderno para que os alunos possam realizar pesquisas a respeito do poeta simbolista. Além dos colégios, o caderno estará em todas as bibliotecas públicas do município, Fundação Badesc e a Casa da Memória.

Para o produtor cultural, João Batista Costa, o JB, o momento é histórico, afinal Cruz e Sousa é considerado o maior simbolista. “Muitas pessoas daqui não o conhecem. Enquanto isso, temos estudantes que vêm da Alemanha para Florianópolis com o objetivo de aprender mais sobre ele”, comentou JB, conhecido por sua semelhança física com o poeta.

O Grupo RIC continua hoje a comemoração dos 150 anos do simbolista com duas apresentações culturais. Às 10h30, JB estará no campus Pedra Branca da Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina) e às 11h30 no Ticen (Terminal de Integração do Centro) para declamar, nos dois momentos, três poemas com duração de 20 minutos cada uma.

Geral