Guarda municipal de Itajaí é encontrado morto em Joinville

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Guarda Municipal de Itajaí é encontrado morto em Joinville

Maykon Francisco Lele, que estava no momento da agressão ao motociclista de Itajaí no último domingo, foi encontrado caído ao lado da cama com sinal de tiro na cabeça; hipótese é de suicídio

O guarda municipal de Itajaí que estava no momento da agressão ao motociclista Jorge Roberto Tomás, de 26 anos, na madrugada do último domingo (14), na rua Pedro Zaguini, bairro Cidade Nova, em Itajaí, foi encontrado morto em Joinville.

Maykon Francisco Lele morava no bairro Vila Nova, zona Oeste de Joinville, com a esposa. Quando o Corpo de Bombeiros chegou ao local, no meio da tarde desta quarta-feira (17), o corpo de Maykon estava caído ao lado da cama com sinal de disparo de arma de fogo na região da cabeça.

A Polícia Civil trabalha com a hipótese de suicídio e o caso será investigado. A esposa estava muito consternada e precisou receber atendimento médico.

Polícia e Corpo de Bombeiros estiveram na rua onde o guarda municipal morava, no bairro Vila Nova, em Joinville – Foto: Ricardo Moreira/NDPolícia e Corpo de Bombeiros estiveram na rua onde o guarda municipal morava, no bairro Vila Nova, em Joinville – Foto: Ricardo Moreira/ND

Maykon fazia parte da primeira turma da Guarda Municipal de Itajaí e trabalhava há cerca de um ano. Ele estava entre os guardas municipais no momento da agressão ao motociclista Jorge Roberto Tomás. No entanto, Maykon não aparece nas imagens agredindo o motociclista.

A câmara de monitoramento flagrou o momento da agressão por parte de dois guardas municipais, os quais foram afastados até que a investigação seja concluída. Nas imagens é possível observar que o jovem estaciona a moto e desembarca em frente a uma casa, que pertence aos seus tios. Uma viatura para bem ao lado dele e, mesmo sem reagir, os guardas agridem o rapaz aos chutes.

Como a ação começou

Segundo a Guarda Municipal, a ação começou em um posto de combustíveis na rua Benjamin Dagnoni, quando Jorge Roberto Tomás teria sido observado em atitude suspeita. Ainda segundo o órgão, ele não teria obedecido às ordens de parada e furou sinais de trânsito.

Ainda de acordo com a Guarda, quando a motociclista parou o veículo, ele teria feito menção sobre estar armado. Neste momento, outro homem teria se aproximado para tentar resgatar o rapaz. Ele teria ameaçado os agentes e resistido à ordem de prisão. Os dois foram levados à delegacia e liberados. Uma revista feita em Jorge não encontrou armas.

Uma sindicância foi aberta para apurar a abordagem, que envolveu, ao todo, dez guardas municipais.

Na tarde desta quarta-feira, a Guarda Municipal de Itajaí emitiu uma nota lamentando o falecimento de Maykon Francisco Lele.

Nota de pesar na íntegra

  • A Guarda Municipal de Itajaí comunica, com pesar, o falecimento do GM Maykon Francisco Lele, na tarde desta quarta-feira, 17. O corpo foi encontrado no interior da residência onde morava com a família, no bairro Vila Nova, em Joinville. Em princípio, a Polícia Civil trabalha com a hipótese de suicídio. A GMI se solidariza com os familiares e amigos do GM Francisco, um companheiro leal e profissional exemplar. O seu sorriso cativante, o espírito leve e o bom humor, nos bons e maus momentos, farão muita falta em nossa casa.

* Com informações de Ricardo Moreira, NDTV

Leia também:

OAB pede providências ao prefeito de Itajaí após agressões de guardas municipais

14 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
  • O bom Jorge
    O bom Jorge
    Lamento pela morte de uma pessoa humana, suicídio ou não. Mas alguém tem que aprender que Guarda Municipal - que acho nem deveria existir - só deve fazer é cuidar do patrimônio público e não se meter em assuntos de outras polícias.
  • Eduardo
    Eduardo
    tem que acabar com esses municipais comunistas que não são nem policiais, completamente despreparados Em floripa tempo atrás, foram dar uma de macho porque ganharam arminhas e subiram o morro da caixa, levaram tiros e o bope teve que ir buscar os imbecis são uns incompetentes que não conseguiram passar no concurso ou no treinamento da Polícia Militar
  • Batista
    Batista
    "Suicídio" me engana que eu gosto.... ta com cara é de queima de arquivo, ele pode ter sido assassinado por algum policiais envolvidos no espancamento...em outro site publicaram que esse que foi assassinado, foi escolhido para sindicância para responder a investigação sobre a abordagem trapalhona.

+ Segurança