Há evidências de que Vaticano sabia de acobertamento, diz procurador da Pensilvânia

O procurador-geral estadual da Pensilvânia Josh Shapiro afirmou ter evidências de que o Vaticano sabia do acobertamento de denúncias de abuso sexual por parte de padres no estado - Paulo Pinto/Fotos Públicas
Josh Shapiro afirmou ter evidências de que o Vaticano sabia do acobertamento de denúncias de abuso sexual por parte de padres na Pensilvânia – Paulo Pinto/Fotos Públicas

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Autoridades da Pensilvânia, nos EUA (Estado Unidos da América), disseram nesta terça-feira (28) ter evidências de que o Vaticano sabia do acobertamento de denúncias de abuso sexual por parte de padres no estado, afirmou o procurador-geral estadual.

“Não posso falar especificadamente sobre o papa Francisco”, afirmou o procurador Josh Shapiro à rede NBC. “Temos evidências de que o Vaticano tinha conhecimento do acobertamento.” 

As declarações de Shapiro foram em reação a carta do arcebispo Carlo Vigano, ex-embaixador do Vaticano nos EUA, segundo a qual o papa acoberta acusações de abuso sexual atribuídas a um ex-cardeal norte-americano de 2013 para cá.

Em 14 de agosto, relatório afirmou que 301 “padres predadores” haviam abusado de mais de mil crianças em várias décadas no estado da Pensilvânia. 

Segundo Shapiro, o relatório aponta “que havia não apenas abuso sexual, estupro de crianças, mas um acobertamento sistemático que chegava até o Vaticano”.

Shapiro afirmou que desde a divulgação do relatório uma linha especial para obter denúncias de abuso clerical recebeu mais de 730 ligações. 

Mais conteúdo sobre

Mundo

Há evidências de que Vaticano sabia de acobertamento, diz procurador

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Autoridades da Pensilvânia disseram nesta terça-feira (28) ter evidências de que o Vaticano sabia do acobertamento de denúncias de abuso sexual por parte de padres no estado, afirmou o procurador-geral estadual.

“Não posso falar especificadamente sobre o papa Francisco”, afirmou o procurador Josh Shapiro à rede NBC. “Temos evidências de que o Vaticano tinha conhecimento do acobertamento.” 

As declarações de Shapiro foram em reação a carta do arcebispo Carlo Vigano, ex-embaixador do Vaticano nos EUA, segundo a qual o papa acoberta acusações de abuso sexual atribuídas a um ex-cardeal norte-americano de 2013 para cá.

Em 14 de agosto, relatório afirmou que 301 “padres predadores” haviam abusado de mais de mil crianças em várias décadas no estado da Pensilvânia. 

Segundo Shapiro, o relatório aponta “que havia não apenas abuso sexual, estupro de crianças, mas um acobertamento sistemático que chegava até o Vaticano”.

Shapiro afirmou que desde a divulgação do relatório uma linha especial para obter denúncias de abuso clerical recebeu mais de 730 ligações. 

Mais conteúdo sobre

Jornalismo

Nenhum conteúdo encontrado