Heleno sobre pedido de apreensão de celular de Bolsonaro: “consequências imprevisíveis”

Atualizado

O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI) emitiu uma nota assinada pelo Ministro Chefe da pasta, General Augusto Heleno, na qual classifica o pedido de apreensão para perícia do telefone celular de Jair Bolsonaro como “inconcebível e, até certo ponto, inacreditável”.

Presidente Jair Bolsonaro pode ter o seu celular apreendido caso o Procurador-Geral da República julgue necessário para investigações – Foto: Marcos Correa/PR/ND

Leia também:

A manifestação se dá após o Ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, enviar à Procuradoria Geral da República o pedido de análise da solicitação feita por partidos de oposição ao governo. A notícia-crime foi feita por PDT, PSB e PV no fim de abril e o despacho do ministro do STF foi desta quinta-feira (21).

Trata-se de um trâmite burocrático referente às investigações de uma suposta interferência do presidente Bolsonaro na Polícia Federal. Cabe ao Procurador-Geral da República, Augusto Aras, se manifestar sobre o pedido.

A nota do GSI foi enfática ao dizer que tal ato significa uma interferência de um poder sobre outro e que, caso se concretize “poderá ter consequências imprevisíveis na estabilidade nacional”.

Confira a nota na íntegra:

Carta do General Augusto Heleno – Foto: Divulgação/ND

Política