Conteúdo por Gazeta Esportiva

Homem é detido por suspeita de homicídio culposo por morte de Sala

O piloto britânico David Handerson, organizador do voo privado no qual o argentino Emiliano Sala morreu, foi detido por homicídio culposo e em seguida liberado na investigação sobre o caso, conforme afirma nesta quinta-feira o jornal The Times.

Na noite da última quarta-feira, a polícia britânica anunciou ter detido um homem de 64 anos por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. O suspeito foi liberado em seguida e está cooperando com a investigação.

Em fevereiro, o Escritório Britânico de Investigação sobre Acidentes Aéreos (AAIB) estabeleceu que o avião que transportava Sala não tinha autorização para realizar voos comerciais e, segundo o The Times, Henderson é um piloto que trabalha regularmente com Willie McKay, um intermediário cujo filho, chamado Mark, havia recebido do Nantes a incumbência de encontrar um clube que contratasse Sala.

McKay, que ajudou a organizar o voo, acusou o Cardiff, em fevereiro, de ter “abandonado” Sala. O clube galês, por sua vez, afirmou ter proposto para ele um voo comercial, rejeitado pelo jogador. Para organizar o voo privado, McKay operou com a mediação de Henderson, mas foi outro piloto, David Ibbotson, que estava no comando da aeronave no dia do acidente. Segundo a BBC, Ibbotson não estava habilitado para voar à noite.

O jogador argentino de 28 anos morreu em 21 de janeiro em um acidente aéreo no Canal da Mancha, poucos dias após se transferir do Nantes para o Cardiff. O corpo foi localizado a bordo da aeronave e recuperado em 7 de fevereiro – o corpo de David Ibbotson, piloto da aeronave, não foi encontrado.

Futebol