Guarda do Embaú para em memória ao surfista Ricardinho, morto um ano atrás

“Reuniu muita gente, até mesmo os banhistas na praia participaram do ato. Foi um momento lindo", disse Debora Cristina, que era amiga do atleta

A estrela da Guarda do Embaú. É assim que parentes e amigos se referem ao surfista Ricardinho, morto a tiros por um ex-policial militar um ano atrás. Para homenagear Ricardinho, a prefeitura de Palhoça encaminhou à Câmara de Vereadores da cidade um projeto de lei que pretende consagrar o dia 20 de janeiro como o dia Municipal do Surfe.

O projeto é motivo de comemoração para quem sempre o admirou. “O sonho dele era ser professor de surfe, montar uma escolinha e ajudar essa garotada. O dia de hoje foi lindo, muita alegria, gente que o amava. Deu para dar uma alegrada no coração da gente que estava muito triste”, afirmou o avô de Ricardinho, Nicolau Santos.

Bruno Ropelato/ND

Ricardinho foi morto por um então policial militar há um ano

A data foi lembrada não só por amigos, familiares e conhecidos. A Guarda do Embaú e seus visitantes conheceram a história do surfista e a forma brutal com que foi assassinado. Argentinos, uruguaios, não importava a nacionalidade.

De camisetas brancas, com flores, reza, e muita paz, moradores e turistas pararam a Guarda nesta quarta-feira (alguns estabelecimentos comerciais inclusive fecharam).

“Reuniu muita gente, até mesmo os banhistas na praia participaram do ato. Foi um momento lindo. E, esperamos que tudo que o Ricardinho queria, aconteça: mais respeito e uma praia para todos”, enfatizou a amiga Debora Cristina.

“O Ricardinho jamais será esquecido pela comunidade. Um amigo, parceiro, pessoa do bem. Ele merece todas essas homenagens e vamos lutar para que a guarda continue do jeito que ele sempre gostou”, afirmou o amigo e primeiro professor do surfe de Ricardinho, Jeferson Luiz

De mãos dados, a comunidade fez um círculo no rio da Madre, em uma roda de oração, uma tradição havaiana. Ao centrinho, uma prancha e uma placa com o nome do surfista foram colocados – para lembrar do esportista e também de seus ideais. Também foi celebrada uma missa em memória ao surfista.

A união de tantas pessoas queridas fez a namorada de Ricardinho se emocionar. “Fez um ano que ele se foi. Sabemos que ele não pode voltar, mas queremos que a justiça seja feita. E somente quando isso acontecer em sua totalidade poderemos ficar mais tranquilos”, falou Karoline Esser.

Bruno Ropelato/ND

Uma prancha e uma placa com o nome do surfista foram colocados no centrinho da Guarda

Ricardinho é homenageado no Carnaval

“Vivia em alto astral. Sua arte era ser surfista”, esse é um pequeno trecho do novo samba enredo do bloco Edboll, da Palhoça, que neste ano homenageia o surfista Ricardinho.

“É uma homenagem do poeta  e amigo de todos os surfistas no carnaval 2016. Já tinha a ideia de homenageá-lo e esse é o momento”, contou o primo de Ricardinho e compositor do samba-enredo “Uma estrela que brilhou na terra”, Edson Correia, popular Edboll.

Segundo ele, a canção está pronta há três meses. A ideia, além de homenagear o surfista, é passar adiante os valores que ele pregava, como amor, respeito e equilíbrio.

“Comecei o Carnaval por causa dele. Ele sempre apoiava boas causas. Ele é um exemplo para todos de que devemos seguir em frente”, contou Edboll.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...