Hospedagens para festas de fim de ano em Florianópolis estão se esgotando

A procura por hospedagens em Florianópolis para as festas de fim de ano está acelerada. A partir de agora, a cada dia que passa fica mais difícil encontrar vagas em pousadas, casas e até mesmo hotéis na Ilha de Santa Catarina, no período entre 28 de dezembro de 2019 e 2 de janeiro de 2020.

Réveillon na Avenida Beira-mar Norte, em Florianópolis – Foto: Flavio Tin/ND

Essa dificuldade se justifica pelo fato de Florianópolis ser o destino brasileiro mais procurado para o Revéillon, segundo pesquisa realizada pela Voopter. O levantamento feito pela empresa de sistema de busca e monitoramento de preços de passagens aéreas computou procuras realizadas durante o mês de setembro, para viagens nesse período.

Ainda de acordo com a pesquisa, as cidades que lideram as buscas nacionais são Florianópolis, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador e Fortaleza. Já o destino internacional mais buscado para a mesma época do ano é Santiago, no Chile.

Procura aumenta todos os dias

Em alguns aplicativos de busca de hospedagens, restam poucas unidades para garantir o Réveillon na Ilha da Magia.

No Booking.com, por exemplo, 84% das vagas disponíveis já estão reservadas e um aviso alerta que Florianópolis é uma das principais escolhas dos viajantes entre 28/12 e 02/01.

Nesse site, os valores mais baratos partem de R$ 460 a diária em local com uma cama de solteiro e espaço para camping, no Morro das Pedras, Sul da Ilha. Alguns hostels no Campeche ainda têm hospedagem (dois ou três
quartos apenas ou camas em quartos compartilhados) a partir de R$ 800 a diária. Mas são poucas unidades, boa parte já esgotou as reservas.

Praia da Joaquina lotada – Foto: Flávio Tin/ND

No Hoteis.com, as buscas de um quarto para dois adultos, para o mesmo período, resultaram (nesta segunda, 21) em uma média de R$ 250 a diária, com poucas unidades disponíveis. Uma pousada na Cachoeira do Bom Jesus,
Norte da Ilha, contava apenas com uma unidade disponível a R$ 273/dia. Nesse site, 68% das reservas estão fechadas.

O Hotel Urbano (hurb) disponibiliza vagas em 48 hotéis para Florianópolis de 28/12/2019 a 02/01/2020, com preços que oscilam bastante. Um quarto em pousada na Cachoeira do Bom Jesus sai por R$ 360 + taxas/diária, para um casal sem crianças. O site não informa o percentual dos imóveis ainda disponível para reservas.

Por outro lado, no Agoda.com, 86% das acomodações estão esgotadas. Há opções a partir de R$ 162 na Barra da Lagoa, por exemplo, mas restam pouquíssimas unidades.

A opção mais em voga no momento, Airbnb, pode ser a alternativa para quem busca proximidade das praias com preços mais atrativos. O site está com 37% das acomodações em Florianópolis reservadas para as datas citadas.

Uma casa para três pessoas a 50 metros da praia do Campeche, por exemplo, com 1 quarto, 2 camas e 1 banheiro sai por R$ 250 por dia. Também há opções para quem quer apenas um canto para dormir. Nesse caso, uma suíte na Praia do Santinho, para dois hóspedes, custa R$ 160 por noite.

Números do setor

Com cerca de 30 mil leitos, Florianópolis é a cidade com maior número de hospedagens no Estado. Entretanto, os números oficiais não incluem as cerca de 400 pousadas e os pequenos imóveis em oferta via aplicativos, como os citados acima. Sobre estes, os órgãos oficiais não têm controle da ocupação.

Segundo a FHORESC (Federação de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares em Santa Catarina), o maior evento em termos de volume de ocupação na Capital é o Réveillon, seguido do Carnaval. A Federação ainda não tem os
números sobre as estimativas de ocupação nas próximas festas de fim de ano.

Segundo a entidade, esse levantamento é feito no início do mês de dezembro, pois as confirmações de reservas ocorrem mais perto da data da viagem.

Ilha do Campeche, um dos passeios mais procurados em Florianópolis – Foto: Marco Santiago/Arquivo ND

Conforme dados coletados de 14 a 21 de outubro junto ao setor hoteleiro pela ABIH-SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Santa Catarina), as reservas nas praias da Grande Florianópolis já somam 67% dos leitos disponíveis. A tendência, claro, é aumentar até o final do ano.

Em 2018, o levantamento da ABIH-SC revelou que a maior taxa de ocupação nas praias da Grande Florianópolis ocorreu no Carnaval quando 98% dos leitos ficaram ocupados; chegando a 100% de ocupação no mês de fevereiro.

Por outro lado, 56,95% dos leitos no Centro de Florianópolis estavam ocupados no Natal e 94,36% no Réveillon. No mesmo período, a taxa de ocupação nas praias da Grande Florianópolis foi de 56,12% (Natal) e 77,65% (Réveillon).

O que esperar da temporada

De acordo com o superintendente de Turismo da Prefeitura Municipal de Florianópolis, Vinicius de Lucca Filho, cada vez mais as reservas são feitas mais próximo à data da viagem. “Então, falar em taxa de ocupação nesse
momento não seria adequado”, afirma. “O que dá para afirmar é que deveremos ter argentinos, mas em menor quantidade do que estamos acostumados”, aponta De Lucca.

Segundo o superintendente, mesmo com a vinda dos voos da Flybondi – empresa aérea argentina de ultra baixo custo, que voará com preços competitivos de Buenos Aires para cá, a grande crise econômica e o câmbio não favorece a vinda dos argentinos. “Para comparação, na temporada 2017/18 um dólar comprava 20 pesos. Na seguinte, 40. Agora, quase 60. Ou seja, para eles saírem estará ainda mais complicado esse ano”, analisa.

Verão da temporada de 2019 na praia de Canasvieiras, no Norte da Ilha – Foto: Flávio Tin/ND

Enquanto as vagas de hospedagem por aplicativos vão se esgotando, o segmento tradicional de hotelaria está na fase de negociação e trabalha para conquistar novos turistas. “Todo ano temos que fazer isso, porque se não
fizermos, outros destinos farão”, afirma o superintendente.

Junto com o Floripa Convention & Visitors Bureau, a prefeitura de Florianópolis participa do projeto Destino Floripa. O foco são ações internacionais para promover e divulgar a cidade, diminuindo a dependência de um único turista, como o argentino. Outro objetivo é fortalecer o destino para a realização de congressos de negócios e eventos corporativos.

Já foram dois eventos na Argentina, um no Chile, um no Paraguai e na última semana a equipe esteve na ExpoViajes, a maior feira do mercado uruguaio, em Montevidéu. Diversas empresas estão participando dessas feiras, negociando com as operadoras para incluir seus hotéis e atrativos nos pacotes delas.

E Florianópolis é um destino forte para esses que são nossos principais mercados (Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile). “Temos muitas opções de voos na temporada e proximidade com esses locais. Também unimos praia, entretenimento e ótima gastronomia”, avalia De Lucca.

Ainda assim, uma das surpresas é que as vendas para o mercado interno melhoraram em relação ao ano passado, o que é atribuído ao dólar alto e mais oferta. “Com a diminuição de estrangeiros, sobra mais para oferecer aos
brasileiros e com preços menores”, diz o superintendente.

Turismo