Identificada mulher encontrada morta em trilha de Florianópolis

Atualizado

O IGP (Instituto Geral de Perícias) identificou o corpo da mulher encontrada morta na madrugada desse sábado (2) na trilha que leva à Cachoeira do Poção, no bairro Córrego Grande, em Florianópolis.

Trata-se de Bruna Rafaelli Ferraz de Freitas, de 22 anos, natural de Rio Claro, no interior de São Paulo. Até a tarde desta quarta-feira (6), o IGP aguardava os familiares para liberar o corpo.

Enio Matos, da Delegacia de Homicídios da Capital, afirmou que Bruna já morava em Florianópolis há dois meses.

Três crimes aconteceram em menos de um mês na trilha do Poção – Foto: Anderson Coelho/ND

Bruna foi morta a tiros, assim como as outras duas vítimas encontradas na mesma trilha em menos de um mês.

De acordo com o IGP, a identificação foi possível por meio das impressões digitais da jovem.

Leia também:

Também de acordo com o delegado Enio, os três crimes ocorridos no local no última mês têm relação. Ele ainda afirmou nesta quarta-feira que alguns suspeitos de envolvimento nos crimes já foram identificados.

As armas utilizadas para matar os dois homens foram .40 e 9mm. Ainda não é possível afirmar se são as mesmas usadas no crime contra Bruna. No entanto, aponta o delegado, é possível que sim.

Ao ser questionado sobre o calibre da arma utilizada na execução de Bruna, o IGP informou que o caso está sendo investigado pela Polícia Civil e não poderia fornecer detalhes.

Segurança na trilha

Questionado sobre a segurança na trilha do Poção, o delegado ressalta que as vítimas dos assassinatos não estavam passeando na trilha, mas que foram levadas à noite para serem mortas no local.

Polícia