Idosa também foi assassinada durante chacina em Araquari

Atualizado

A chacina que ocorreu em Araquari, no Norte do Estado, na última sexta-feira (6), continua sendo investigada pela Polícia Civil. Cinco pessoas foram mortas durante um ataque a tiros no início da tarde. Inicialmente, a informação era de que quatro pessoas teriam sido assassinadas e uma idosa havia sido vítima de ataque cardíaco.

Pelo menos dois suspeitos teriam sido os responsáveis pela execução – Foto: Ricardo Alves/NDTV

No entanto, o delegado Thiago Escudeiro confirmou, nesta segunda-feira (9), que Zilda Agripina da Silva Alves, de 70 anos, também foi assassinada. “A idosa, que nós achávamos que tinha sofrido um ataque cardíaco, também foi morta com disparo de arma de fogo. Então, não foi fatalidade”, ressalta.

O delegado já ouviu testemunhas e conta, ainda, que uma das vítimas mortas durante a chacina teria ido até o local para comprar drogas. A casa, reforça, era ponto de venda de entorpecentes. As investigações apontam para duas motivações relacionadas ao tráfico de drogas e à organização criminosa que atua na cidade. A área em que ocorreram as mortes não teria autorização da facção para o comércio de drogas e pelo menos duas das vítimas estariam administrando a venda no local.

Além disso, um dos mortos estaria tentando retomar uma posição de destaque dentro da facção e a ação seria uma retaliação antecipada a essa tentativa de retomada de poder.

Ainda de acordo com o delegado, pelo menos quatro pessoas estão envolvidas na chacina, mas existe ainda a possibilidade de um quinto suspeito. Os disparos teriam sido efetuados por pelo menos dois deles e os demais teriam auxiliado na fuga.

O delegado destaca que, caso alguém tenha alguma informação que possa colaborar com a identificação dos suspeitos, entre em contato para realizar uma denúncia anônima por meio do 181 da Polícia Civil.

Leia também:

Polícia