Idoso que matou esposa era atuante em igreja e querido na comunidade, em Capão do Leão

Hélio Dias, o idoso de 89 que matou a esposa, Cleni Dias, de 79 anos, e depois se suicidou, se afastou das atividades da Paróquia Santa Tecla, em Capão do Leão, no Rio Grande do Sul, por causa de problemas de depressão.

Casal Hélio e Cleni tinha uma vida muito ativa na paróquia da cidade – Foto: Reprodução/Facebook

Hélio entrou em depressão depois que a mulher, com quem foi casado por 67 anos, foi diagnosticada com Alzheimer, há seis anos.

O casal era muito querido e participativo na comunidade da Santa Tecla. Seu Hélio, como era mais conhecido, foi ministro da eucaristia por muitos anos na igreja matriz, na ajuda à liturgia e na coordenação da comunidade.

Leia também:

Já Dona Cleni foi ministra da eucaristia por muitos anos na sede da paróquia Santa Tecla, além de catequista. Também era atuante na pastoral do batismo.

Com a idade avançada e problemas de saúde, o casal havia se afastado do convívio com a comunidade paroquial nos últimos anos.

As informações são da própria rede social da paróquia, que destaca que ambos eram muito queridos por toda a comunidade de Capão do Leão.

Polícia