IGP faz a reconstituição dos fatos relacionados à morte de Gabriella Custódio da Silva

Jovem de 20 anos foi abandonada na porta do hospital depois de ter sido baleada pelo seu companheiro, que assumiu autoria do crime

O IGP (Instituto Geral de Perícias) realizou junto à Delegacia de Homicídios de Joinville, nesta segunda-feira, a reconstituição dos fatos relacionados à morte de Gabriella Custódio da Silva, de 20 anos - IGP/Divulgação
1 5

O IGP (Instituto Geral de Perícias) realizou junto à Delegacia de Homicídios de Joinville, nesta segunda-feira, a reconstituição dos fatos relacionados à morte de Gabriella Custódio da Silva, de 20 anos - IGP/Divulgação

Os trabalhos foram realizados na casa da mãe do companheiro da jovem, Leonardo Nathan Chaves Martins, que é o principal suspeito do crime - IGP/Divulgação
2 5

Os trabalhos foram realizados na casa da mãe do companheiro da jovem, Leonardo Nathan Chaves Martins, que é o principal suspeito do crime - IGP/Divulgação

Gabriella morreu com um tiro no peito que teria sido executado por Leonardo - IGP/Divulgação
3 5

Gabriella morreu com um tiro no peito que teria sido executado por Leonardo - IGP/Divulgação

O crime aconteceu no último dia 23 de julho, o acusado alega que o disparo foi acidental - IGP/Divulgação
4 5

O crime aconteceu no último dia 23 de julho, o acusado alega que o disparo foi acidental - IGP/Divulgação

Gabriella Custódio da Silva, 20 anos, foi deixada morta na porta do hospital por seu companheiro, após ter sido baleada. Leonardo assumiu a autoria do crime, por um tiro acidental, e contou que a arma utilizada no crime foi jogada em um rio, com a ajuda de seu pai - IGP/Divulgação
5 5

Gabriella Custódio da Silva, 20 anos, foi deixada morta na porta do hospital por seu companheiro, após ter sido baleada. Leonardo assumiu a autoria do crime, por um tiro acidental, e contou que a arma utilizada no crime foi jogada em um rio, com a ajuda de seu pai - IGP/Divulgação

+

Notícias