Imprudência no trânsito provoca prejuízos com equipamentos e sinalização da Capital

Atualizado

Todo início de semana, a Diope (Diretoria de Operações do Sistema Viário) é acionada para remover e consertar equipamentos e placas danificadas por motoristas incautos na Capital. Semáforos, câmeras contadoras, postes, proteção de calçadas e até o meio fio de canteiros já sofreram as consequências da imprudência no trânsito da Capital.

Guarda-corpo destruído no Centrinho da Lagoa com uma placa indicativa de endereço caída no chão – Foto: Flavio Tin/ND

A Diope conta com equipes permanentes de manutenção do sistema semafórico e das sinalizações vertical e horizontal. De acordo com diretor Fabrício Justino, o trabalho é diário e feito de acordo com a demanda. “Nos finais de semana, o índice de acidentes que danificam algum tipo de equipamento é maior”, conta.

Na última semana, por exemplo, um motorista abalroou um poste com câmeras de contagem de veículos utilizada para controlar o semáforo em tempo real na Avenida Beira-Mar Norte, em frente ao Direto do Campo. O veículo subiu o canteiro, danificou o meio-fio e quebrou o poste e as câmeras. “Tivemos que retirar a coluna fora e todo o cabeamento das câmeras. Já concretamos uma base nova e na próxima semana instalaremos as câmeras novamente”, relatou.

Outra situação muito comum, observada na rodovia Admar Gonzaga, no Morro da Lagoa são placas aéreas que são “empurradas” e entortadas por veículos pesados (ônibus e caminhões) com altura superior a 4,40 metros. “Temos muitos problemas com os caminhões cegonheiros que utilizam outras rotas para não passar em viadutos que tem essa altura padrão”, relata Justino.

Em outros casos, o vento é que acaba por danificar placas indicativas de local. São os casos das sinalizações flagradas na Lagoa da Conceição e no Santa Mônica. Sem recursos próprios, a Diope depende de licitações. “Para os equipamentos, nós temos alguns materiais em estoque e muitos deles consertamos no laboratório da Diope”, informa Justino.

Para recuperar esse prejuízo incalculável, desde agosto de 2018 o município abre processos administrativos mediante a existência de boletins de ocorrência da Polícia Militar. “Cada situação é pontual, é um caso diferente. Com o boletim da PM, podemos acionar o departamento jurídico para resgatar esse valor”, afirma o diretor do Diope.

E não é só o município que tem prejuízo com a imprudência dos motoristas. De acordo com a Celesc, já foram registradas 96 ocorrências em 2019 na Grande Florianópolis que geraram um custo de R$ 222,6 mil. Apenas na Capital foram 30 ocorrências, totalizando um custo de R$ 48 mil. Uma delas aconteceu na semana passada e derrubou um poste de iluminação na Avenida Beira-Mar Norte, próximo do Terminal da Trindade.  Em caso de abalroamento em postes, a Celesc monta um processo administrativo que cobra a substituição, incluindo o material e o serviço.

Placas de sinalização turística começaram a ser instaladas

A Prefeitura de Florianópolis iniciou a instalação de placas de sinalização turísticas em importantes vias da Capital. Já foram instaladas cerca de 20 placas já foram instaladas. Ao todo serão 55. A implantação dessas estruturas deve ocorrer até novembro. Os recursos foram obtidos via Ministério do Turismo.

“A instalação das placas, sendo a maioria trilíngue, faz parte do nosso planejamento para o verão, quando aumenta consideravelmente o fluxo em direção às praias. Essas vias estando bem sinalizadas contribuem para uma boa experiência dos visitantes, que podem trafegar com segurança e tranquilidade por esses locais,” afirma o superintendente de Turismo da Prefeitura de Florianópolis, Vinícius De Luca Filho.

Placas instaladas até o momento

  • SC 405 – Rio Tavares sentido centro – bairro 20 metros após Elevado da Seta.
  • Rio Tavares sentido centro-bairro 100 m antes da interseção com a Avenida Pequeno Príncipe.
  • SC 406 sentido Campeche – Lagoa 110 m após servidão Alfredo Dulius.
  • Rua Vereador Osni Ortiga sentido campeche – Lagoa, 140 metros antes da Avenida das Rendeiras.
  • Rodovia Admar Gonzaga sentido Lagoa – Centro, 20 metros após a rua João Pacheco da Costa.
  • Rodovia Admar Gonzaga sentido Centro – Lagoa, 140 metros antes da Rua dos Bambus.
  • Rodovia Admar Gonzaga sentido Centro – Lagoa 370 metros após o mirante do Morro da Lagoa.
  • Rodovia Admar Gonzaga sentido Centro – Lagoa 900 metros após mirante do Morro da Lagoa.
  • Rodovia João Gualberto Soares sentido Rio Vermelho – Barra da Lagoa, 360 metros antes da rotatória de acesso ao projeto Tamar.
  • Rodovia João Gualberto Soares sentido Ingleses – Rio Vermelho, 400 metros após acesso a Rua Dário Manoel Cardoso.
  • Rodovia João Gualberto Soares sentido Ingleses – Rio Vermelho, 120 metros antes do acesso à Rua Caminho do Travessão.
  • Rodovia João Gualberto Soares sentido Rio Vermelho – Ingleses a 400m antes da Estr. Manoel Cardoso.
  • Rodovia “Seu Chico” Francisco Thomaz dos Santos (SC 406) sentido Centro – bairro, 130 metros antes da Rua Manoel Pedro Vieira.
  • Avenida Pequeno Príncipe sentido Centro-Bairro a 100m após a interseção da SC 405 com a Pequeno Príncipe.
  • Avenida Pequeno Príncipe sentido Centro – Praia, 130 metros da Avenida Campeche.
  • Rodovia Admar Gonzaga (SC 404) sentido Centro – Lagoa em frente à sede da CELESC
  • Rodovia Jornalista Manoel de Menezes (SC 406) sentido Praia Mole – Lagoa, 130 metros da Av. Prefeito Acácio Garibaldi (estrada da Joaquina).

Imprudência no trânsito provoca prejuízos com equipamentos e sinalização da Capital

Poste destruído na Avenida Beira-Mar Norte, na Trindade - Flavio Tin/ND

Poste destruído na Avenida Beira-Mar Norte, na Trindade - Flavio Tin/ND

Placa de sinalização na Avenida Madre Benvenuta, no Santa Mônica, também danificada - Flavio Tin/ND

Placa de sinalização na Avenida Madre Benvenuta, no Santa Mônica, também danificada - Flavio Tin/ND

Guarda-corpo destruído no Centrinho da Lagoa com uma placa indicativa de endereço caída no chão - Flavio Tin/ND

Guarda-corpo destruído no Centrinho da Lagoa com uma placa indicativa de endereço caída no chão - Flavio Tin/ND

Placa em frente ao Tilag, na Lagoa, danificada e dificulta a visualização das indicações de destino - Flavio Tin/ND

Placa em frente ao Tilag, na Lagoa, danificada e dificulta a visualização das indicações de destino - Flavio Tin/ND

Placa no Morro da Lagoa tem placa inclinada, dificultando a visualização da sinalização - Flavio Tin/ND

Placa no Morro da Lagoa tem placa inclinada, dificultando a visualização da sinalização - Flavio Tin/ND

Placa no Morro da Lagoa tem placa inclinada, dificultando a visualização da sinalização - Flavio Tin/ND

Placa no Morro da Lagoa tem placa inclinada, dificultando a visualização da sinalização - Flavio Tin/ND

Também na Avenida Beira-Mar Norte, em frente ao Direto do Campo da Agronômica, pedaços de concreto e restos de grama jogados na beira da pista - Flavio Tin/ND

Também na Avenida Beira-Mar Norte, em frente ao Direto do Campo da Agronômica, pedaços de concreto e restos de grama jogados na beira da pista - Flavio Tin/ND

Poste destruído na Avenida Beira-Mar Norte, na Trindade - Flavio Tin/ND

Poste destruído na Avenida Beira-Mar Norte, na Trindade - Flavio Tin/ND

Geral