Caso Cátia Regina: inquérito sobre assassinato fica pronto na próxima semana

Resumo do caso:

De acordo com o delegado Thiago Escudeiro, responsável pelo caso da empresária assassinada em São Francisco do Sul, a previsão é que o inquérito seja concluído na próxima semana. Segundo ele, a polícia ainda aguarda o resultado de alguns laudos periciais e a realização do confronto balístico, para confirmar se a arma encontrada na casa dos suspeitos foi usada no crime.’

Cátia foi morta enquanto voltava de uma viagem, em Araquari – Redes Sociais

Cátia Regina voltava de Joinville, após viagem de negócios. Ela teria sido sequestrada na BR 280, sendo assassinada em seguida. Os suspeitos, de acordo com a polícia são o casal Fabricio Wolche e Magali dos Santos. Esta última foi presa, após ação policial, mas o marido escapou do cerco. O motivo seria uma disputa comercial. Magali se diz inocente das acusações.

Viaturas da Polícia Civil e do IML estiveram no local onde o corpo de Cátia foi encontrado, em Araquari – Divulgação/ND

Segundo o delegado Thiago Escudeiro, no entanto, imagens de uma câmera de segurança confirmaram que o carro de Fabrício Wolche estava acompanhando o automóvel da vítima no dia do desaparecimento.

Apontado como autor do disparo que matou a empresária Cátia Regina da Silva, o comerciante Fabricio Woche usou seu perfil no Facebook para se defender. Ele chegou a afirmar que se apresentaria a polícia, mas apagou a postagem momentos após a publicação. – Redes Sociais

Um terceiro suspeito, que não teve a identidade revelada, segue preso na Unidade Prisional Avançada de São Francisco do Sul. Segundo informações da polícia, o homem teria participado de toda a execução do crime, desde a abordagem até o homicídio. De acordo com a investigação, o homem teria ido dias antes até a loja de Cátia e se passado por um fiscal da Receita Federal.

Polícia