Investigação sobre idoso desaparecido em Florianópolis depende de laudo pericial

Atualizado

Resultados de exames periciais, entre eles o de DNA, serão decisivos para confirmar se o corpo encontrado em um matagal no dia 18 de julho, no bairro Campeche, no Sul da Ilha, é de Antônio José da Luz Amaral Filho. O idoso, de 84 anos, está desaparecido desde 1º de junho. Embora a polícia acredite se tratar da mesma pessoa, a liberação do corpo para sepultamento depende da confirmação.

Antônio José da Luz Amaral Filho desapareceu no dia 1º de junho no bairro Campeche – Divulgação/ND

Segundo o delegado Wanderlei Redondo, da Delegacia de Pessoas Desaparecidas, há 99% de chances de que o corpo seja do seu Antônio Amaral. No entanto, os próximos passos da investigação dependem da conclusão do laudo pericial e do laudo cadavérico que podem revelar a identidade e a causa da morte.

Ainda assim, “há grande possibilidade de o exame ser inconclusivo por causa do estado em que o corpo estava”, afirmou Redondo. Até a manhã desta terça-feira (6), a polícia aguardava a finalização dos laudos do IGP/IML (Instituto Geral de Perícias e Instituto Médico Legal).

De acordo com o delegado, o exame de DNA foi pedido no fim de julho, quando foi coletado material genético de familiares para ser comparado ao do corpo encontrado. O exame leva cerca de 30 dias para ser concluído, porém, foi pedido um prazo mais curto, de dez dias, para que o corpo possa ser liberado para a família.

A reportagem tentou contato com o IGP (Insituto Geral de Perícias) na manhã desta terça feira para saber quais são os prazos dos exames, mas não obteve retorno.

Polícia