Irmão da moradora de Florianópolis assassinada no RS tem prisão preventiva decretada

O principal suspeito pelo assassinato de Jordana Müller da Costa, o irmão da vítima, de 31 anos, teve prisão decretada no início desta sexta-feira (12). Segundo a delegada da 2ª DP de Pelotas, que atua como substituta na DP de Canguçu, ele está foragido.

Na última quarta-feira (10), Jordana, de 37 anos, foi morta com dois tiros dentro de um apartamento no centro da cidade de Canguçu, no Rio Grande do Sul. Ele era moradora de Florianópolis. Segundo a Policia Civil, uma briga por conta da herança familiar teria motivado o crime.

Jordana Müller da Costa, assassinada na última quarta-feira (10) – Reprodução Facebook

Leia também

Uma arma encontrada no local do crime é um dos indícios da participação do familiar no assassinato de Jordana. Segundo a Polícia Civil, ela estava registrada no nome do irmão. A arma está sendo analisada pela perícia.

Vítima era cadeirante

De acordo com uma amiga da vítima que preferiu não se identificar, Jordana era cadeirante e trabalhava em um banco de Florianópolis. Ela estava de licença desde o início do ano, quando a mãe morreu, e retornaria a Santa Catarina no final de semana para voltar ao trabalho na próxima segunda-feira (15).

Jordana estava na cidade em que nasceu para resolver questões relacionadas ao inventário da mãe, contou uma vizinha da vítima. Segundo a amiga, os irmãos eram unidos, mas questões financeiras provocaram brigas.

Pelas redes sociais, amigos e familiares de Jordana prestaram homenagem. Em uma publicação no Facebook, uma colega da vítima disse não acreditar na notícia.

“Eu te falei e volto a repetir, te admirava muito pela tua força e amor a vida. Era você quem me dava força, não o contrário. Agora sua vida foi tirada de uma forma covarde”.

Jordana foi sepultada na manhã dessa quinta-feira (11), no Cemitério Municipal de Canguçu.

Mais conteúdo sobre

Polícia