Jeep robusto, aventureiro e sustentável

Atualizado

A árvore ameaçada de extinção visgueiro está longe de alcançar os 20 metros de altura que sua espécie normalmente atinge na Mata Atlântica. Porém, cresce firme e forte no viveiro de mudas do Polo Automotivo Jeep, em Goiana, Pernambuco.

E o que isto tem a ver com a produção de carros? Tem tudo a ver. As boas práticas sustentáveis que a Jeep imprime em todo o seu negócio consideram o ponto de vista de seus consumidores.

Árvore Visgueiro, espécie ameaçada de extinção, foi plantada e cresce no viveiro de mudas no Polo Automotivo Jeep em Pernambuco. Foto: Leo Lara/ND

 

48 carros por hora

A fábrica que produz 48 carros por hora e mil por dia não apenas discursa a favor da sustentabilidade, mas executa boas práticas sustentáveis. Como por exemplo, a redução em 16% das emissões de CO2   no acumulado de janeiro a julho de 2019. Por conta disto, conquistou junto com as outras nove plantas produtivas da Fiat Chrysler Automóveis (FCA) na América Latina o Selo Ouro pela divulgação dos Inventários de Gases de Efeito Estufa (GEE).

Os ganhos ambientais são muitos. Para se ter uma ideia, 186 toneladas de CO2 e deixaram ser emitidas por ano só com a simples mudança da temperatura da água que resfria as pinças da Funilaria, no setor de produção. Além disso, os 13 mil funcionários conseguiram diminuir em 45% a energia para se produzir um carro.

Polo automotivo da Jeep adota modelo de desenvolvimento sustentável; no alto (acima do carro) é possível ver tela com dados da produção em tempo real. Foto: Leo Lara/ND

Viveiro de mudas

O viveiro de mudas da Jeep na Zona da Mata Norte tornou-se o maior do Nordeste. Já foram plantadas, desde 2014, cem mil mudas de 295 diferentes espécies, das quais 27 estão em extinção. A ação faz parte do Programa de Biodiversidade da montadora. A meta é chegar a 2024 com 208 mil árvores plantadas, de acordo com Danubia Lima, analista de manufatura e responsável pelo viveiro.

Ela ressalta que o programa de biodiversidade é uma ação voluntária e que não está atrelado a exigências do processo de licenciamento ambiental.

A área que antes era ocupada apenas pela monocultura da cana-de-açúcar voltou a receber o pássaro pica-pau-anão-dourado, uma das 35 espécies em extinção identificadas pelo programa. No total, foram inventariadas na fauna 446 espécies, sendo 36 de peixes, 67 de répteis e anfíbios, 290 de aves e 53 de mamíferos.

Ciclo de vida da água

A fábrica eliminou quase que totalmente o uso de água potável para produzir seus carros. Desde 2015, a Jeep utiliza a mesma água no processo industrial. Sua ETE (Estação de Tratamento de Efluentes) possui hoje um dos sistemas mais modernos do mercado.

Os efluentes passam pelo tratamento com membranas e osmose reversa. O sistema de biorreatores com membranas tanto faz o tratamento biológico como o tratamento industrial.

Moderno sistema de tratamento de efluentes e reúso de água industrial praticamente eliminou o uso de água potável na fabricação de carros. Foto: Leo Lara/ND

“Ele tem a capacidade de fazer uma alta filtração com a ajuda dos tanques de tratamento aeróbio biológico, removendo e clarificando o nosso efluente, onde ele remove vírus, bactérias e protozoários. Hoje a gente tem um efluente tratado biologicamente com um índice de bactérias muito baixo”, afirma Natália Andrade, analista de processo responsável pela ETE.

Água de reúso

O índice de recírculo da água atinge 99,5%, um dos maiores do Brasil. Com isso, um volume de 28 mil metros cúbicos de água (equivalente a oito piscinas olímpicas) deixam de ser captados da rede pública de abastecimento. Isso equivale a uma economia mensal de R$ 271 mil.

A água de reúso é aproveitada, entre outros processos, para o resfriamento das pinças de solda. As pinças são alguns dos 700 robôs que operam na fábrica, dos quais 607 estão na Funilaria.

Transparência na gestão

Só se gerencia o que se mede. No polo automotivo Jeep, cada setor da Produção tem uma tela touchscreen, semelhante à de uma tv plana LCD, com os números das unidades produzidas em tempo real. O sistema inteligente de eficiência energética e automação contribui para reduzir as emissões de CO2.

Alinhado ao pensamento estratégico da montadora, a sustentabilidade também engloba a diversidade e a inclusão. Na Funilaria, há 22% de mulheres trabalhando em cargos de liderança.

Na Funilaria, 22% dos cargos de liderança são ocupados por mulheres; também há mulheres trabalhando igualmente como os homens na produção. Foto: Giovana Kindlein/ND

Estímulo ao protagonismo

Para promover o desenvolvimento local inclusivo de jovens de Goiana, a Fiat Chrysler Automóveis (FCA) vai investir R$ 1,5 milhão no projeto de educação Vozes Daqui. Também são parceiros da montadora a Fundação Banco do Brasil e a Avsi Brasil.

Por meio de ações educativas e socioculturais , o projeto visa despertar o interesse de alunos e da comunidade pelo ambiente escolar. Terá a duração de três anos.

Dessa maneira, o Vozes Daqui quer fomentar o protagonismo de alunos, professores e da comunidade para criarem e desenvolverem ações para a melhoria do espaço físico nas escolas e da relação escolar.

“Acreditamos que educação é fator decisivo para a promoção de igualdade social e trabalhar para o aprimoramento da educação pública em Goiana tem sido uma de nossas missões sociais desde a inauguração do Polo Automotivo Jeep há quatro anos”, diz Fernão Silveira, diretor de Comunicação e Sustentabilidade da FCA para América Latina.

Projeto Vozes Daqui visa fortalecer a educação para promover o protagonismo juvenil em Goiana, município que abriga o Polo Automotivo Jeep. Foto: Giovana Kindlein/ND

Mais Carros

Nenhum conteúdo encontrado