Jovem recebeu alta duas vezes antes de morrer por Covid-19 no Sul de SC

Atualizado

A jovem Milena Ascari Dutra, de 19 anos, é a primeira vítima da Covid-19 em Grão Pará, município do Sul catarinense. Diagnosticada com o novo coronavírus por meio de um teste rápido, ela recebeu alta hospitalar por duas vezes antes de morrer, no dia 29 de maio.

Milena Ascari Dutra morreu no dia 29 de maio em razão da Covid-19 – Foto: Reprodução/Facebook

A morte de Milena foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde na noite dessa quarta-feira (3). Além dela, outros três novos óbitos passaram a integrar os dados oficiais, que agora totalizam 152 vítimas.

Aluna da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Grão Pará, Milena tinha deficiências motora e intelectual.

Em março deste ano, ela teve uma pneumonia e precisou ser internada por cerca de 15 dias no Hospital Santa Teresinha, em Braço do Norte. À época, a jovem não foi testada para Covid-19.

Leia também:

Milena se recuperou e voltou para casa. Durante o mês de abril, ela não apresentou sintomas respiratórios.

Em 15 de maio, porém, a jovem foi levada pela família novamente ao Hospital Santa Teresinha, com indícios de pneumonia. Na unidade, ela foi submetida a um teste rápido para Covid-19, que deu negativo.

O quadro de saúde de Milena piorou e ela foi transferida para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital São José, em Criciúma. Lá, ela foi submetida a outro teste rápido, que confirmou a presença de anticorpos para o coronavírus.

A jovem se recuperou e teve alta, mas na madrugada do dia 24 de maio precisou novamente ser levada ao Hospital Santa Teresinha. Milena ficou em um leito de enfermaria por cinco dias, até morrer.

A secretaria de Saúde de Grão Pará informou que a jovem não foi transferida para a UTI porque conseguia respirar sem ajuda de aparelhos.

Contaminação no hospital

A suspeita é de que Milena tenha sido contaminada em uma das internações hospitalares, segundo a secretaria de Saúde de Grão Pará.

Além dela, outros dois casos positivos foram confirmados na cidade. No entanto, a prefeitura diz que foram importados de outras regiões.

O pai e a mãe da jovem, além de alguns parentes próximos, foram testados para a Covid-19 e tiveram resultado negativo. Segundo a pasta municipal, eles continuam sendo monitorados.

A secretaria informou que o atestado de óbito de Milena não consta Covid-19 como causa da morte. O caso foi registrado como morte em decorrência de complicações de uma pneumonia, mas relata que ela tinha anticorpos para o coronavírus.

Mais conteúdo sobre

Saúde