Jovem teria sido morto por se negar entrar para associação criminosa, diz delegado

Atualizado

A DIC (Divisão de Investigação Criminal) da Polícia Civil elucidou a morte de Leandro Gonçalves, de 18 anos, que ocorreu em Chapecó, no Oeste catarinense. O crime foi na noite de 24 de junho deste ano, no bairro Bom Pastor.

Homicídio ocorreu em junho deste ano – Willian Ricardo/ND

De acordo com o delegado Vagner Papini, a vítima estava a caminho de um mercado, acompanhada de um amigo, para comprar refrigerante, quando foi atingida por aproximadamente quatro disparos de arma de fogo.

“Passou uma motocicleta e os tripulantes pararam e disseram ‘não corra’. O carona sacou uma arma de fogo e atirou cerca de 10 vezes conta a vítima”, contou o delegado. 

O amigo conseguiu fugir e não foi atingido pelos tiros. Já a vítima foi socorrida por familiares e levada ao Hospital Regional do Oeste, mas já chegou sem vida. 

A investigação conseguiu identificar dois irmãos, um de 19 e outro de 24 anos, como tripulantes da motocicleta usada no crime.

“Acompanhados de advogados, eles prestaram depoimento e todos negaram qualquer envolvimento com o fato, entretanto, com base nas provas testemunhais, conseguimos comprovar que eram eles os tripulantes da motocicleta”, disse Papini. 

Ainda conforme o delegado, o carona da motocicleta – suspeito de ter feito os disparos – foi preso na terça-feira (6). O outro está foragido. 

A DIC cumpriu quatro mandados busca e apreensão, dois na casa dos irmãos e os demais no imóvel de dois suspeitos, que não foram indiciados, por falta de prova. A polícia não localizou a pistola calibre. 380 usada no crime. 

Motivação

Delegado falou sobre o caso na tarde desta quinta-feira – Willian Ricardo/ND

Papini conta que, com base no depoimento de testemunhas foi possível descobrir a motivação do homicídio.  

“Os irmãos estavam envolvidos com o tráfico de drogas e que teriam convidado a vítima para fazer parte da associação criminosa, mas Gonçalves teria se negado, fato que criou uma rivalidade entre os envolvidos”, disse o delegado. 

O inquérito policial ainda não foi concluído, pois o delegado aguarda os laudos periciais. A dupla será indiciada por homicídio qualificado pelo motivo torpe. A documentação será encaminhada ao Poder Judiciário. 

Leandro possuía 12 passagens criminais. Já os irmãos possuem juntos 22 boletins de ocorrência. 

Polícia