Justiça afasta PM preso com munições clandestinas em Florianópolis

Atualizado

O PM preso por porte de munição clandestina na última quarta-feira (15), foi afastado do serviço pela Justiça, em Florianópolis. A decisão foi tomada Renato Mastella pelo juiz, em audiência de custódia realizada no dia seguinte a prisão.

O suspeito fazia parte do PPT (Pelotão de Patrulhamento Tático). Na ocasião da prisão, o policial foi preso em flagrante durante uma operação de busca e apreensão realizada em sua casa. As informações são do Poder Judiciário.

Durante operação, polícia encontrou 20 munições clandestinas – Foto: Arquivo/PPT/Divulgação/ND

Leia também:

Depois das manifestações, o juiz Renato Mastella determinou o afastamento do policial do serviço operacional da Policial Militar. Mastella também suspendeu o porte de arma do PM e o obrigou a comparecer mensalmente em juízo. “Embora grave a conduta”, anotou o magistrado na decisão, “não verifico a presença de elementos necessários para a decretação da prisão preventiva”.

Mastella explicou que o indiciado é primário, tem endereço fixo, não responde a qualquer outra ação e desde o ingresso na corporação, em 2013. O juiz afirmou, ainda, que o PM ostenta apenas elogios em sua ficha funcional.

“A soltura não tem o condão de implicar ameaça à ordem pública, tampouco inviabilizará a persecução penal ou a eventual aplicação da lei penal, de modo que a segregação é desnecessária”, concluiu. O processo seguirá os trâmites normais.

Justiça