Justiça decreta prisão preventiva e suspeito de matar Quênya Rosa é considerado foragido

Marcelo Bittencourt

Gabriel alegou legítima defesa e que estaria sendo perseguido por Quênua

Foi emitida na manhã desta sexta-feira, 17, a prisão preventina de Gabriel Aliison da Silva, assassino confesso de Quênya Rosa, 24 anos. O crime ocorreu na última quinta-feira no bairro São Luiz, em São José, quando Gabriel supostamente tentava a reconciliação com a ex-namorada. Os dois se encontraram de uma amiga em comum e Gabriel acabou estrangulando a jovem.

Na segunda-feira, 13, o irmão de Gabriel e seu advogado compareceram à delegacia da Mulher, do Idoso e do Adolescente de São José, e alegaram legítima defesa para o ato de Gabriel.

A delegada Sandra Mara informou que desde as 10h desta sexta-feira, Alisson é considerado foragido da Justiça, fato já comunicado a seu advogado. Inicialmente, o advogado comunicou que seu cliente se apresentaria na delegacia às 9h, mas isso não ocorreu.

“Estamos em diligência desde o final da tarde de quinta-feira nos locais onde Alisson informou que poderia ser encontrado pela Justiça ou polícia, mas não houve êxito”, disse a delegada. “Como ele não se apresentou nesta manhã passa a ser considerado foragido da Justiça”, completou.

Região