Justiça nega habeas corpus a adolescentes que planejavam ataque terrorista em escola de SC

Atualizado

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina negou habeas corpus aos adolescentes apreendidos por suspeita de promover atos preparatórios de terrorismo, em Balneário Camboriú. Os jovens estão internados provisoriamente desde abril deste ano, após munições e outros objetos alusivos ao terrorismo serem localizados pela Polícia Militar.

12º Pelotão de Patrulhamento Tático – PPT/Divulgação/ND

Testemunhas ouvidas pela polícia contaram que os dois adolescentes já planejavam o ataque à Escola de Ensino Básico Ruizelio Cabral desde o início do ano letivo. Uma aluna, que não teve a identidade revelada, ouviu os colegas comentando sobre quem seriam as vítimas escolhidas para morrer durante um massacre na escola. A menina avisou os diretores do colégio, que imediatamente acionaram a Polícia Militar e forneceram o endereço dos meninos.

Leia também:

Nas casas dos adolescentes, os policiais encontraram materiais que indicaram a confirmação do plano criminoso. Entre os itens apreendidos estavam doze cartuchos deflagrados, quatro intactos, com munição calibre 22, e aparelhos celulares com fotos de armas.

Na casa de um deles, a polícia localizou livros relacionados ao Estado Islâmico, chaveiros em formato de fuzil, bilhetes com descrições de armas e prováveis alvos, um pé de cabra tático e um artefato explosivo de fumaça, além de outros materiais alusivos ao terrorismo.

A Justiça determinou que os alunos fossem afastados das aulas, por conta do fácil acesso às informações que poderiam facilitar a prática do atentado terrorista. Os adolescentes seguem em internação provisória, com acompanhamento psicológico especial.

Polícia