Laudo confirma que Mariana Bazza foi asfixiada e sofreu abuso sexual

Atualizado

A jovem Mariana Bazza, de 19 anos foi morta por asfixia e sofreu abuso sexual. A confirmação está no laudo do IML (Instituto Médico Legal). O suspeito, Rodrigo Alves, de 37 anos, foi acusado formalmente e é réu no processo.

Mariana aceitou ajuda para trocar o pneu de seu carro, foi abusada sexualmente e morta por asfixia mecânica. O crime foi no dia 24 de setembro, em Bariri, interior de São Paulo.

O processo começou como inquérito, investigando as circunstâncias da morte da jovem. As informações são da Record TV.

Mariana desapareceu após pedir ajuda para trocar um pneu e teve seu corpo encontrado em um canavial – Foto: Facebook/Reprodução

Leia também:

Relembre o caso

A estudante de fisioterapia Mariana Forti Bazza desapareceu na manhã de 24 de setembro, após sair com uma amiga da academia que frequentava na cidade de Bariri, no interior de São Paulo.

Ao sair do local, ela percebeu que um dos pneus de seu carro estava murcho, foi nesse contexto que um rapaz desconhecido surgiu oferecendo ajuda para a troca. Em uma imagem que a vítima compartilhou com o namorado, o suspeito, Rodrigo Alves, de 37 anos, aparece trocando o pneu.

Imagens de câmeras de seguranças próximas ao local flagraram Rodrigo abordando a jovem e, em seguida, Mariana levando seu carro para dentro da chácara na qual Rodrigo trabalhava como pintor. Em outra captura é possível ver Rodrigo se aproximando do carro da vítima antes da abordagem, possivelmente furando o pneu.

Mãos amarradas e vendada

O corpo da jovem foi encontrado na quarta-feira (25) em um canavial no distrito de Cambaratiba, a 55 km de Bariri. Mariana usava a mesma roupa de quando foi abordada por Rodrigo, na saída da academia.

Segundo o boletim de ocorrência, a jovem estava com as mãos amarradas para trás, vendada e com outro pedaço de tecido amarrado em seu pescoço.

Rodrigo foi quem indicou o local em que o corpo da jovem estava. Ele é o principal suspeito, chegou a confessar o crime mas voltou atrás. O homem tem diversas passagens por sequestro, estupro e tentativa de latrocínio.

Mais conteúdo sobre

Polícia