“Eu nasci em Pirabeiraba”

Distrito de Joinville completa 155 anos de muitas histórias, na próxima terça (15)

Se for perguntado onde nasceu, o mecânico Jairo da Silva, 43 anos, dirá: “Eu nasci em Pirabeiraba. Sou pirabeirabense”, brinca. Ele é um dos quase 23 mil habitantes que moram no distrito de Joinville, para muitos uma cidade à parte. A distinção não é feita apenas pelos 14 quilômetros que o separam do Centro, mas inclusive pelos próprios moradores. “Eu também me considero de Pirabeiraba”, diz o também mecânico Alcir Boaventura de Souza, 37.

Fabrício Porto/ND

O mecânico Jairo da Silva nasceu e se criou no distrito, e acompanhou todo o seu crescimento e desenvolvimento

Silva e Souza nasceram e se criaram em Pirabeiraba. Ambos afirmam que não faz muito tempo o local era a definição da palavra tranquilidade no dicionário. “Quando eu era moleque, isto tudo aqui era pasto, os rios cheios de peixes. Era um lugar muito bom de viver, todo mundo conhecia todo mundo”, recorda Silva. Hoje, prestes a completar 155 anos de fundação, na próxima terça (15), Pirabeiraba é sinônimo de crescimento. É endereço das empresas que buscam um espaço para ampliar seus negócios na cidade, e de seus funcionários, vindos de diversas regiões do país.

“Surgiram muitas casas novas em Pirabeiraba, principalmente dos funcionários das empresas que vieram se instalar aqui. Tem gente de São Paulo, Rio Grande do Sul”, cita o mecânico. Hoje, conforme Silva, o bairro é bem servido de bancos, lojas, mercados e outros serviços. “Aqui tem de tudo, você não precisa se locomover até o Centro. Eu vou passear em Joinville, mas considero outra cidade.”

Fabrício Porto/ND

Pirabeiraba completa 155 anos

Em Pirabeiraba, há três agências bancárias, correios, posto de saúde, o Hospital Bethesda, lojas, agropecuárias, Biblioteca Pública, oficinas mecânicas, pequenos mercados e escolas. Para os visitantes, a sensação é de realmente estar em outra cidade, mesmo que dentro do território joinvilense. Porém, a lojista Carmem Brüske, ao contrário dos vizinhos, é categórica ao desfazer a primeira impressão.
“Aqui é um distrito de Joinville, um bairro. As pessoas não sabem a definição de distrito e acabam confundindo, mas somos joinvilenses.” Ela, no entanto, ressalta que Pirabeiraba é independente do Centro. “Pelo contrário, Joinville é que depende do nosso espaço físico para ter onde instalar as novas indústrias.”

O secretário Nelson Bansen, da subprefeitura de Pirabeiraba, também é nascido na região. Ele acredita que, atualmente, o distrito é o mais valorizado do município. “Sessenta porcento da água que abastece Joinville é de Pirabeiraba.” Ele ainda destaca o crescimento do ecoturismo. “A atividade se desenvolveu bastante nos últimos anos, os agricultores estão bastante satisfeitos.”

Nova geração

Patrícia Brüske, 24, faz parte da nova geração de moradores de Pirabeiraba. Ela conta que está noiva e pretende morar no distrito, mesmo depois que tiver sua própria família. “Eu quero continuar morando aqui, a qualidade de vida é melhor. Não tem congestionamento no trânsito, é mais calmo”, detalha.

Contudo, a jovem reclama da falta de lazer e um supermercado maior em Pirabeiraba. Ela diz que para o distrito ser independente também é necessário que haja mais médicos e agências de outros bancos. Mas a mãe dela, a lojista Carmem Brüske, ressalta que para isto antes precisa haver segurança. “A falta de segurança é uma das piores coisas daqui, só perde para o trânsito no acesso a Joinville.”

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...