Macaco morto faz Itajaí intensificar vacinação contra a febre amarela

Na última quinta-feira (12), a vigilância epidemiológica de Itajaí foi acionada para investigar as circunstâncias da morte de um macaco. O animal da espécie bugio foi encontrado por cães na localidade do Brilhante. Embora não se tenha a confirmação da causa da morte, a Dive (Diretoria de Vigilância Epidemiológica) orienta a vacinação da população no entorno como medida preventiva.

Na imagem um macaco Bugio, da mesma espécie do animal encontrado morto – Reprodução

No fim de semana, agentes fizeram uma ação especial de cobertura vacinal na zona rural e conseguiram imunizar 257 pessoas. A Vigilância está passando de casa em casa para explicar a situação, conferir a imunização e questionar sobre a presença de macacos em bairros de Itajaí que estão próximos a matas. Além da zona rural, as visitas ocorrem na Fazenda, Praia Brava, Cabeçudas e Ressacada.

Leia também:

Aproximadamente 31 mil moradores de Itajaí ainda precisam se vacinar contra a febre amarela. A Vigilância Epidemiológica busca alcançar a meta de mais 23,3 mil pessoas para atingir 95% de cobertura.

Segundo gerente do Núcleo de Controle de Zoonoses, Lúcio Vieira, todos os moradores receberam muito bem as equipes da força-tarefa. A vigilância epidemiológica de Itajaí pede àqueles que ainda não tomaram a vacina que procurem a unidade de saúde mais próxima para se imunizar.

A vacinação é indicada para pessoas acima de nove meses de idade até 59 anos, que nunca tenham tomado a dose. Apenas uma dose da vacina basta. Ela é oferecida nas unidades de saúde durante todo o ano. No caso de gestantes e idosos com mais de 60 anos, a orientação é buscar consulta médica.

Saúde