Mãe e filha vítimas de acidente na BR-282 são sepultadas após 50 dias no IML

Atualizado

Os corpos de mãe e filha que morreram depois de um acidente de trânsito, em Pinhalzinho, no Oeste de Santa Catarina, foram sepultados na manhã desta segunda-feira (27).

Acidente ocorreu após uma curva – Foto: Rodrigo Gonçalves/NDTV

Viergienie Dorcely, de 43 anos e Widjine Saint Louis, de 11 anos, moravam em Concórdia. Elas ocupavam um VW/Golf, com placas de Chapecó, que bateu em árvores e caiu um barranco às margens da BR-282, em 9 de dezembro do ano passado.

Além de mãe e filha, o motorista Fedenel Polycarpe, de 30 anos, e Berchela Succes, de 22 anos, morreram no local do acidente. Um menino de 16 anos sobreviveu.

Segundo o diretor de Ação Social da Prefeitura de Concórdia, Jaime Bernardi, a demora para os sepultamentos das vítimas ocorreu por conta da ausência de parentes de primeiro grau no Brasil, para que fosse feito o reconhecimento dos corpos no IML (Instituto Médico Legal) de Chapecó.

Leia também:

Corpos ficaram no IML por quase 50 dias – Foto: Divulgação/ND

A despedida de mãe e filha ocorreu no fim da manhã desta segunda-feira, no Cemitério Parque Concórdia, cidade onde elas moravam. Duas gavetas mortuárias foram disponibilizadas pelo município para os sepultamentos.

Os custos foram disponibilizados através do Auxílio Funeral, recurso disponível para essa finalidade pelo Departamento de Ação Social da Secretaria do Desenvolvimento Social, Cidadania e Habitação de Concórdia.

As demais vítimas já foram sepultadas.

Mais conteúdo sobre

Trânsito