Maior festa de cerveja do país, Oktoberfest não tem solução para copos plásticos

Atualizado

Considerada a maior festa cervejeira do país e a segunda maior do mundo depois de Munique, a Oktoberfest, em Blumenau, ocorre há 36 anos. Em tempos de discussão sobre desenvolvimento sustentável, um fato chama a atenção: o uso excessivo de copos plásticos descartáveis durante o evento.

Em seis dias de festa – entre 9 e 14 de outubro – já foram distribuídos 417,8 mil copos descartáveis, o que equivale ao consumo de 168,1 mil litros de chope.

Copos plásticos distribuídos na Oktoberfest 2019 – Foto: Arquivo pessoal/ND

Mesmo para os participantes que trazem suas canecas de casa, o chope ou a cerveja não são servidos diretamente nesses recipientes. O líquido sai do compartimento, vai para um copo plástico descartável e, do copo plástico, é servido na caneca.

Mesmo o copo plástico da festa não pode ser reutilizado, o que obriga os participantes a pegarem novo copo a cada bebida comprada.

Segundo a organização do evento, o uso do copo de plástico é uma determinação das empresas que fazem a administração das cervejarias da festa. As regras são aplicadas pela empresa oficial do evento. O método é para garantir que não haja contaminação.

Segundo a organização, é preciso garantir que nenhum copo ou caneca em uso pelos participantes tenha contato com a biqueira da cervejeira.

Outra questão é que as máquinas não regulam a quantidade de bebida que sai, o que faz com que o copo plástico sirva como unidade de medida.

Reciclagem de parte do lixo é ação compensatória

Para compensar o uso excessivo de copo plástico, a organização afirma que tem investido na conscientização por meio de coleta seletiva que ocorre diariamente após a festa.

O recolhimento por parte da organização, no entanto, se restringe ao material plástico descartado em uma lixeira gigante instalada no meio do Parque Vila Germânica.

Todo o lixo descartado no chão, nas demais lixeiras do parque e fora do parque, fica sob a responsabilidade da coleta municipal. É responsabilidade da prefeitura fazer a coleta seletiva nos pavilhões e a separação do lixo no aterro sanitário.

Lixeira gigante instalada no meio do Parque Vila Germânica – Foto: Reprodução/Facebook/Instituto Gigantes da Ecologia/ND

A promessa é de que, neste ano, o material recolhido na lixeira gigante será transformado em móveis para a rede municipal de ensino. Por enquanto, não há previsão de quando os copos descartáveis serão abolidos do evento.

Questionada sobre possível substituição do copo plástico por recipiente de acrílico ou papel, a organização afirmou que o objetivo é o avanço de estudos sobre possíveis ações para as próximas edições, sempre com o objetivo de incentivar a sustentabilidade.

Reciclagem não reaproveita todo o material

De acordo com estudo divulgado em março deste ano pela World Wide Fund for Nature, o Brasil é o 4° maior produtor de plástico do mundo, ficando atrás apenas de países como a China, Estados Unidos e Índia.

Além disso, o Brasil é um dos que menos recicla plástico no planeta, reaproveitando apenas 1,2% do material, pouco mais de 145 mil toneladas.

Os copos de plástico são produzidos a partir de poliestireno – componente derivado do petróleo. O tempo que ele dura no meio ambiente é muito longo, chegando a mais de 450 anos.

De acordo com o coordenador do curso de Engenharia de Materiais da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) de Blumenau, Johnny de Nardi Martins, o consumo excessivo de copos descartáveis é algo marcante na sociedade moderna, não apenas no Brasil.

Segundo Martins, o maior vilão não é o copo plástico, mas sim, a maneira como esse material é utilizado. “É preciso haver uma política de reciclagem e reuso para que o consumo seja menor”, diz o coordenador.

A conscientização, de acordo com o professor, passa por campanhas que incentivem a diminuição do uso do copo descartável, sendo substituído por copos de acrílico, podendo ser usado várias vezes pela mesma pessoa, sem quebrar ou amassar.

“Países como a Suécia e Dinamarca tem uma grande política de reciclagem. Na Suécia, se espera que até 2030 seja possível reciclar 99% do lixo sólido, incluindo plásticos”, afirma. “Tudo passa pela conscientização das pessoas, pensando também no futuro”, avaliou.

Eventos de pequeno porte dão exemplo

Em eventos cervejeiros de menor porte que ocorrem em Florianópolis e em outros municípios da região, por exemplo, o participante pode adquirir o copo de acrílico na festa ou levá-lo de casa. O recipiente é reutilizado.

Copo de acrílico é opção sustentável nos eventos – Foto: Bruno da Rocha Nass/Divulgação/ND

É o caso da Cervejaria Faixa Preta, de Santo Amaro do Imperatriz. A fábrica tem um bar no bairro Campinas, em São José, onde são organizados os eventos.

Bruno da Rocha Nass, que é sócio-administrativo da empresa, afirma que o objetivo é garantir a sustentabilidade. “Compramos o copo por R$ 2,20 e vendemos por R$ 3,00. O objetivo não é o lucro, mas a questão sustentável”, garantiu.

Segundo o empresário, não é permitido o uso de copos descartáveis nos eventos. O local também disponibiliza banheiros químicos e lavatórios para os copos, caso o participante queira tomar um tipo de chope diferente.

A Associação das Microcervejarias da Região Metropolitana de Florianópolis também segue a tendencia. Nas festas cervejeiras da instituição, os recipientes são vendidos por R$ 2,00.

O objetivo, segundo o presidente Renildo Nunes, é conscientizar o público sobre os copos descartáveis. Há dois anos, conta ele, havia resistência do público com a compra dos recipientes de acrílico. “Hoje já virou hábito, muitas pessoas fazem uso até mesmo da caneca do ano anterior”, completou.

Meio Ambiente