Mais de 100 mil postos de trabalho temporário devem ser abertos no verão

Atualizado

A alta temporada de verão que corresponde aos meses de dezembro, janeiro e fevereiro promete contribuir para a abertura de 103 mil postos de trabalho temporário no Brasil. Pelo menos é o que aponta a pesquisa feita pelo SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), através de amostragem.

Número representa um aumente de 43,8 com relação ao mesmo período em 2018. – Foto: Marcelo Bittencourt/Arquivo ND

Segundo o órgão, o aumento é de 43,8 com relação ao mesmo período em 2018. Os postos são abertos para dar conta do aumento de fluxo no comércio por conta do Natal e o período de férias.

Segundo a CDL (Câmaras de Dirigentes Lojistas), a jornada de trabalho deve ser, em média, de oito horas diárias, e o contrato varia por empregador.

A pesquisa aponta que a maior parte de contratação é do varejo, seguido de serviços. A rede hoteleira também deve aderir a modalidade, para atender a demanda da temporada de verão. Ao todo, 40% dos empresário entrevistados indicaram a intenção de efetivar os contratos.

Leia também

Conforme a pesquisa, entre as funções mais procuradas estão as de ajudante (31%), vendedor (26%), balconistas ou atendente de loja (9%), motorista (6%), caixa (4%) e estoquista (4%).

Durante a temporada, os produtos mais procurados pelos consumidores é confecção, seguido de eletrônicos, brinquedos, calçados, perfumes e cosméticos.

Crescimento positivo

A Semana do Brasil, realizada no mês de setembro, teve um impacto positivo para os comerciantes de Florianópolis. É o que indica a pesquisa realizada pela CDL com os empresários que aderiram a Semana.

Segundo a CDL, durante o período grandes comerciantes da Capital cresceram até 30%, enquanto pequenos lojistas contabilizaram um aumento de até 20%. A CDL ressaltou que esse período do ano não costuma ter tanto crescimento.

Nem tão bom assim

Porém, na data do Dia das Crianças o crescimento de vendas no comércio de Florianópolis foi de 4,57%, enquanto que a expectativa era de 5%.

“A retomada da economia está lenta, mas ao longo deste ano o ambiente é de muito otimismo entre os setores de varejo e serviços”, afirma Ernesto Caponi, presidente da CDL de Florianópolis.

Economia