Maré alta amplia alagamentos causados pelo temporal em Palhoça

A Grande Florianópolis e o Litoral Norte voltaram a registrar estragos no começo da noite desta terça-feira (23), em função de um forte temporal que atingiu a região, desta vez acompanhado de vendaval e chuva de granizo. Palhoça, novamente, foi uma das cidades mais atingidas, acompanhada  de São José.

Ruas como do bairro Passa Vinte ficaram alagadas - Divulgação/Whatsapp/ND
Ruas como do bairro Passa Vinte ficaram alagadas – Divulgação/Whatsapp/ND

Em São José o teto de uma casa que estava desabitada desabou no bairro Forquilhas, em função do granizo e do vento. A Defesa Civil recebeu dezenas de chamados por causa da queda de árvores e destelhamentos. As equipes ainda estão nas ruas contabilizando os prejuízos.

Na cidade de Palhoça os alagamentos foram agravados pela maré alta, nas regiões do Pagani e do Caminho Novo. Com isso, segundo a Defesa Civil, a água demorou mais a escoar, ampliando os prejuízos em algumas residências. “Com a maré, as ruas ficaram alagadas nos dois bairros, dificultando o trânsito. O pico da maré foi às 20 horas”, explicou o gerente de operações da Defesa Civil de Palhoça, Júlio Germano Marcelino.

A ruas também ficaram alagadas nos bairros Morretes e Praiamar, em Itapema. Por volta das 19h, o temporal ainda provocou o destelhamento de residências, mas sem registro de granizo. Os ventos provocaram muitos danos à rede elétrica. A Celesc registrou mais de 30 mil residências sem energia, entre as 18 e 19 horas, em Biguaçu, Palhoça, Santo Amaro e São José. Em Itapema também houve registro de queda nos bairros Morretes e Praimar..

Mais conteúdo sobre

Região

Nenhum conteúdo encontrado