Médico é indiciado por cobrar partos em hospital público de Nova Trento

Atualizado

Um médico foi indiciado por oito atos de corrupção passiva, em Nova Trento, na Grande Florianópolis. Segundo a investigação, concluída na última semana, o suspeito cobrava pela realização de partos já custeados pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Hospital Imaculada Conceição, em Nova Trento – Foto: Arquivo/Prefeitura de Nova Trento/Divulgação/ND

Os fatos ocorreram no Hospital Municipal de Nova Trento – Hospital Nossa Senhora Imaculada Conceição. As informações são da Polícia Civil.

Leia também:

Conforme o delegado Conrado Ferri Cintrão, a investigação foi iniciada com a denúncia de que o investigado estaria cobrando para realizar cesáreas e laqueaduras no hospital, cujos procedimentos são integralmente custeados pelo SUS.

Foram identificadas sete mulheres que afirmaram ter efetuado o pagamento para que o indiciado realizasse as cesáreas no Hospital Municipal de Nova Trento. Também foi identificada uma mulher para quem o investigado solicitou o pagamento, mas ela se recusou a pagar.

Todas as mulheres foram atendidas pelo investigado em clínicas particulares em Itapema e em São João Batista. Também foram identificados funcionários do hospital e das clínicas particulares, que confirmaram as versões das gestantes.

O médico está afastado cautelarmente da função pública desde julho de 2019, em razão de determinação judicial, após representação da Polícia Civil. A investigação não identificou nenhum funcionário do hospital ou servidor público municipal que tivesse ciência ou participação nos crimes.

Polícia