Mercado Público Municipal de Palhoça ganha regulamentação para concessão de boxes

Atualizado

O Mercado Público de Palhoça, na Grande Florianópolis, passa por uma reforma em toda a estrutura construída na década de 1950. Localizado no Centro da cidade, o mercado faz parte da história do município e remete à cultura e arquitetura açoriana. Após a conclusão da reforma, a prefeitura lançará edital para a concessão dos boxes do novo espaço.

O Decreto 2.547 que dispõe sobre a ocupação e o funcionamento do Mercado Público foi publicado no Diário Oficial dos Municípios do dia 20 de fevereiro. O documento regulamenta a Lei 4.745 de julho passado que trata sobre a concessão onerosa de espaços públicos para exploração comercial em Palhoça.

Fachada do Mercado Público Municipal Gedalvo José dos Passos em 2016 – Foto: Bruno Ropelato/ND

De acordo com essa lei, além do Mercado Público, podem ter os espaços outorgados as praças 7 de Setembro e 15 de Novembro; os parques Ponte do Imaruim, do Madri e do Aririú; ginásios e quadras esportivas, UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), entre outros locais administrados pelo Município.

O decreto assinado em 7 de fevereiro estabelece que os boxes do mercado serão destinados à cultura, ao lazer, à comercialização de produtos artesanais da região, comercialização de alimentos e de produtos de utilidade doméstica, bem como para oferecimento de serviços de alimentação. Salienta também que não será permitido o comércio de produtos no atacado.

Tradição no mercado

O uso dos boxes será sempre oneroso e por tempo determinado, de acordo com o que está na Lei 4.745 e no edital específico para a ocupação do mercado.

30, priorizar os usos tradicionais que costumam provocar atratividade em mercados públicos, garantir que o espaço seja um local popular de encontro, lazer do Centro Histórico de Palhoça.

Obra no prédio do mercado dará espaço para sete boxes – Foto: Divulgação/ND

Sete boxes

A administração do Mercado Público será da Sesp (Secretaria de Serviços Públicos), que ficará responsável por aplicar e exigir medidas que garantam a segurança, limpeza e bem-estar ao visitante.

No novo mercado haverá sete boxes, sendo que em um deles será instalada a Sesp e em outro a Secretaria Municipal de Assistência Social para, segundo o decreto, promover programa de incentivo à economia solidária em Palhoça.

Os outros cinco boxes ficaram destinados ao comércio de artesanato, armarinho, bebidas, frutas e verduras, peixaria, entre outros produtos relacionados à tradição comercial de mercados públicos.

O contrato de concessão de uso será obtido por meio de processo licitatório, para a proposta que oferecer a maior oferta financeira, conforme o edital ainda sem data confirmada de lançamento.

Na foto da fachada da Foto Palhoça, provavelmente da década de 1980, aparece, ainda menino, Eduardo Gedalvo, que hoje administra a loja do pai – Foto: Arquivo pessoal/Gedalvo José dos Passos/ND

Foto Palhoça e a história do mercado

A história da família de Eduardo Gedalvo dos Passos faz parte de toda a existência do Mercado Público Municipal e da fotografia em Palhoça. O seu Gedalvo José dos Passos, pai de Eduardo, foi o pioneiro em lojas de fotos na cidade. A Foto Palhoça abriu em 1967 no mercado e modificou a relação do palhocense com esse serviço.

“Quem precisava de foto tinha que se deslocar até o Centro de Florianópolis, aqui não tinha nada”, conta Eduardo. Ele também cita como pioneirismo do pai o fato de ter batizado a loja com o nome da cidade. “Até então não tinha nada com o nome de Palhoça. Só depois que começou a aparecer lojas com o nome da cidade”, diz.

O filho do fotógrafo fala com orgulho sobre a família ter registrado muitas histórias de Palhoça, de bailes de debutantes à Festa do Divino Espírito Santo. “Muita gente das fotos de primeira comunhão que meu pai fez está hoje de cabelos brancos. Acho que todo mundo fez fotografias na Foto Palhoça”, comenta Eduardo.

Virou nome do mercado

Gedalvo virou sinônimo da loja Foto Palhoça e em 2007 o fotógrafo, hoje com 92 anos, foi homenageado. Desde então, o prédio que abrigou a loja até agosto do ano passado chama-se Mercado Público Gedalvo José dos Passos.

Como era de se esperar, o filho Eduardo deu seguimento ao trabalho do pai. Junto com a esposa Ana Carla Rodrigues Sanches ele administra a Foto Palhoça, que passou a funcionar numa galeria localizada em frente ao velho mercado.

Leia também:

Palhoça abre concessão de espaços públicos para comércio local

Palhoça sanciona lei que autoriza município a participar do transporte coletivo integrado

Mais conteúdo sobre

Turismo