Microempreendedores de Florianópolis têm suporte para retomar negócios após quarentena

Atualizado

Atendimento feito aos microempreendedores antes do período de quarentena. Agora, toda a assistência aos empresários será feita on-line -PMF/Divulgação/ND

“Vivemos um período muito difícil. Além da preocupação em combater e nos prevenirmos do coronavírus, nós, microempreendedores, precisamos nos preocupar em sobrevivermos, em garantir a continuidade do negócio. Porque o vírus vai passar e precisamos garantir que teremos uma segurança daqui a um tempo. Nesse sentido, fiquei mais tranquilo ao saber que o poder público está pensando em nosso segmento e que teremos um impulso para retomarmos o ritmo quando a quarentena terminar”. O relato é de Diogo Martins Carreiras, que vende artigos de escritório na Capital.

Ele se refere aos benefícios concedidos pela Prefeitura de Florianópolis a microempreendedores e MEIs (microempreendedores individuais), que poderão contar com suporte para a retomada dos seus negócios após este período de baixa. Por meio do programa Juro Zero Especial, que está previsto para começar nesta sexta-feira (3/4) os empresários que se enquadram nessas modalidades terão carência de 90 dias para o pagamento da primeira parcela para os novos créditos. Além dos juros do crédito, a Prefeitura ainda pagará os juros da carência para os empreendedores.

O valor do empréstimo para MEIs será ainda maior: terá aumento de R$ 2 mil para R$ 3 mil. O prazo do parcelamento para essa modalidade será de 12 meses para reduzir o valor do pagamento mensal. Para solicitar esse tipo de empréstimo, o empreendedor deverá entrar em contato com o Banco do Empreendedor, instituição financeira operadora do programa.“Neste momento, precisamos preservar primeiro a vida das pessoas. Por isso decretamos o isolamento social logo que foram confirmados os primeiros casos na cidade e prorrogamos esta decisão, para podermos achatar essa curva de contágio aqui na cidade. Mas, neste período também temos que pensar e estimular as empresas e garantir a sobrevivência dos empresários e microempreendedores, que ainda estão de portas fechadas.

A assistência aos microempreendedores que quiserem participar do Juro Zero, neste período de distanciamento social, será feito on-line, pelo Banco do Empreendedor. A Prefeitura de Florianópolis vai divulgar, nos próximos dias, como será feito esse atendimento, especificamente.

Tomada de crédito especial também será liberada aos empresários que já atingiram o limite de créditos previstos pelo programa Juro Zero Especial – Divulgação/ND

Crédito especial

A tomada de crédito especial também será liberada aos empresários que já atingiram o limite de créditos previstos pelo programa Juro Zero. O requisito de ter pelo menos um funcionário registrado não será exigido das microempresas que desejarem tomar o crédito pela segunda vez. Não há necessidade de a empresa estar associada a uma entidade de classe.

Os empreendimentos que têm operações ativas do programa Juro Zero Floripa e que tiverem dificuldades de pagar as parcelas a vencer, poderão ainda refinanciar o saldo devedor, sem prejuízo dos juros subsidiados pela administração municipal Os empreendedores que tomaram crédito e que estiverem com suas parcelas em dia até Fevereiro/2020, mesmo que a operação ainda não esteja quitada, poderão solicitar o crédito especial.

Medidas para minimizar o impacto econômico

O programa Juro Zero Especial faz parte de uma série de medidas tomadas neste mês pela Prefeitura da Capital que buscam diminuir o impacto negativo da pandemia causada pelo Coronavírus na renda e empregos dos moradores de Florianópolis. Ao mesmo tempo em que reforça restrições às pessoas vindas de viagens, o decreto também suspende taxas e cria o “cartão merenda escola”.

Além dessa iniciativa, foi feita ainda a suspensão da TLULP (taxa de licença para utilização de logradouros públicos). Além disso, a fim de auxiliar no abastecimento de supermercados, o pacote suspendeu o decreto 12.374 de 2013 em que limitava a circulação de caminhões e operações de carga e descarga na cidade.

Todas essas medidas foram decididas em conjunto com um comitê criado junto a entidades da sociedade civil, empresarial, ministério público, tribunal de contas, Acaert (Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão) e entidades religiosas. A ideia desse comitê é pensar em alternativas para diminuir o impacto no emprego e renda durante esse período de distanciamento social.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Prefeitura de Florianópolis