Ministério da Saúde coloca Sul do país em alerta sobre febre amarela

Atualizado

Em boletim divulgado nesta quarta-feira (15), o Ministério da Saúde alerta o  Sul e Sudeste do país sobre o risco da transmissão de febre amarela, visto que foi sinalizado nestas regiões a circulação do vírus em macacos.

População deve se vacinar nesse verão – Foto: Pixabay/Divulgação/ND

As ocorrências de doenças transmitidas por mosquitos, como é o caso da febre amarela, costumam aumentar no verão. Assim sendo, é altamente indicado que a população tome a vacina.

De acordo com o órgão, foram registradas 38 mortes de macacos nos estados de Paraná (34), São Paulo (3) e Santa Catarina (1). Os dados são referentes a julho de 2019 até 8 de janeiro deste ano. O macaco funciona como sentinela da doença, já que é o principal hospedeiro do vírus.

A forma de interceptar que a doença se espalhe nos humanos é a vacinação, além de controlar os vetores nas cidades, para evitar a transmissão de mosquitos urbanos.

Leia também

O público-alvo para vacinação são pessoas de 9 meses até 59 anos de idade, que não possuem comprovação de vacinação.

Segundo o secretário substituto de Vigilância em Saúde do Ministério, Julio Croda, é fundamental que todas essas pessoas busquem a vacina. “Não adianta vacinar um grupo e outro não, já que a febre amarela é uma doença transmitida por um mosquito infectado e ele pode picar qualquer pessoa”, afirmou.

Calendário de vacinação

O Ministério da Saúde lembra que a vacina contra a febre amarela é distribuída mensalmente aos Estados.

No ano de 2020, as crianças passaram a ter um reforço da vacina aos 4 anos de idade.

Mais conteúdo sobre

Saúde