Moradia social vai respeitar fila

“Invadir terras não dá direito a ninguém de furar fila”, afirmou o prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Júnior, ao programa A Cidade na Record (Rádio Record)

Em sua primeira entrevista sobre a invasão na Vargem Pequena, o prefeito Cesar Souza Júnior afirmou ao programa A Cidade na Record (Rádio Record 1470), na terça, 28, que demandas habitacionais em Florianópolis serão sempre atendidas de acordo com a fila de espera. “Tem gente esperando uma casa há mais de 20 anos, até 30 anos, não é justo que as pessoas que chegaram agora queiram ser atendidas primeiramente”, disse, acrescentando que “invadir terras não dá direito a ninguém de furar fila”. O prefeito enfatizou ainda que “é preciso, no caso específico dessa invasão, separar o drama social do uso político deslavado, e oportunista, da situação, utilizando pessoas carentes como massa de manobra”. Para ele, quem organiza esse tipo de coisa não ama Florianópolis, não pensa na cidade, pratica a velha política. “E vamos desenvolver uma ação conjunta, com outros órgãos públicos, para que esse tipo de situação não vire praxe em Florianópolis. De início, precisamos dar vazão à demanda local já existente”. Conforme reportagem do Notícias do Dia de segunda-feira, há mais de 14 mil famílias à espera de uma moradia em Florianópolis. Em 2013, a prefeitura conseguiu entregar 40 casas, “fato que há muito tempo não se registrava”, lembrou Cesar Souza Júnior.

Risco

Ainda em sua entrevista, o prefeito Cesar Souza Júnior mencionou a atuação firme do poder público no sentido de demolir construções clandestinas, em áreas de preservação permanente ou de risco ambiental, inclusive casas de alto padrão. “E essa invasão da Vargem Pequena já havia sido tentada na Serrinha, numa área pública, mas nós conseguimos impedir”, destacou.

Miramar

A anunciada reconstrução do Miramar, um símbolo arquitetônico de Florianópolis destruído durante a implantação do Aterro da Baía Sul, traz à memória dos que conheceram o prédio inúmeras histórias e personagens. No início da década de 1970, o governo de Colombo Salles promoveu adequações internas e transformou o antigo espaço do bar no Teatro de Arena, cujo palco recebeu encenações locais e também nacionais – ali esteve José Celso Martinez Corrêa, do Teatro Oficina, dirigindo As Criadas, de Jean Genet.

Explicação

Governador do Estado à época da demolição do Miramar, Colombo Salles afirmou, numa entrevista que me concedeu há nove anos, que era preciso livrar a cidade daquele espaço, porque “tratava-se de um antro”, que reunia a “malandragem local”. Colombo confessou, naquela entrevista, que não havia determinado a destruição. Segundo ele, teria sido um “acidente”, provocado por um maquinista.

Humor

“Vida social tão vazia que logo aparece um assentamento de sem-terra”. Tuitada de Marcieli Zucchi (@marcielizucchi), fazendo graça com a situação do momento em Florianópolis.

Velho guerreiro

O produtor teatral Valdir Dutra completa 50 anos de teatro e 74 anos de idade nesta quinta, 30. Pioneiro do teatro infantil em Florianópolis, continua firme na atividade, levando espetáculos às comunidades da Grande Florianópolis. De jeito simples, mas determinado, Dutra começou sua vida profissional como bilheteiro do Teatro Álvaro de Carvalho.

Transporte

Treinamentos e palestras sobre legislação e fiscalização do transporte turístico estão entre os principais temas do 4º Encontro das Empresas de Transporte Turístico e Fretamento de Santa Catarina. A expectativa da Aettusc (Associação das Empresas de Transporte Turístico de Santa Catarina) é de que 600 pessoas, representando 400 empresas, participem do evento, de 21 a 23 de março, no Hotel Torres da Cachoeira, em Florianópolis.

Bem isso

Observação interessante da jornalista Rose Bordignon: “Não gosto desse tipo de notícia de ‘melhor capital, lugar mais seguro, melhor qualidade de vida…’. Desperta o interesse das pessoas em virem pra cá e a criminalidade vem junto. Aí, todas as coisas que hoje ainda são boas, se vão”.

Canto sem…

No início da semana, mãe e filha foram à Praça do Canto (Praça Adir Manoel da Cunha – Mestre Dica) para passear. Poucos minutos depois, voltaram nervosas para casa, porque um sujeito mostrava seus órgãos genitais em público. O marido e pai ligou para o 190, mas não foi atendido. Foi ao local e conseguiu colocar o tarado para correr.

… proteção

A grande questão é a ausência de policiamento na praça, o que tem resultado nesse tipo de abuso. O pai de família reclama da Guarda Municipal, que estava sempre presente – tem até um posto no local – e simplesmente desapareceu. “Hoje o posto está vazio e a praça à mercê de malas desse tipo”, diz ele.

Glaicon Covre

Segurança

Prevenção

Projeto Golfinho, uma iniciativa do Corpo de Bombeiros voltado ao público jovem, para conscientização dos perigos do mar e da própria praia, é realizado no Campeche e chama atenção dos veranistas. Dois salva-vidas voluntários (Alessandro e Leandro) atuam no local, coordenados pelo soldado Agueiras.

* * *

Diga-se, a propósito, que o portal RIC Mais mantém no ar uma pesquisa em que é perguntado: “O que mais tem contribuído para as mortes por afogamento em praias e cachoeiras nesta temporada?”. Cem por cento dos que participaram até agora identificam a imprudência como a causa principal dos afogamentos.

Divulgação

Consumidor

Indignação

Já está criada a comunidade Floripa $urreal Não Pague, nos mesmos moldes da iniciativa dos cariocas, que até terça, 28, tinha quase 137 mil participantes. “Esta página divulga e boicota preços extorsivos praticados por bares, restaurantes, lojas e ambulantes na Ilha da Magia Florianópolis, SC!”, informam os organizadores.

Roberto Machado

segurança

Capacitação

O Morro do Horácio, localizado na parte central de Florianópolis, terá o Nudec (Núcleo da Defesa Civil). O grupo, formado por moradores da localidade, recebe capacitação por parte dos agentes técnicos da Defesa Civil da Capital. A intenção é fortalecer o sistema de proteção e prevenção das pessoas que moram em áreas de risco. Já existe um Nudec no Morro da Mariquinha.

Loading...