Moradores do Morro do Mocotó fazem bloqueio para protestar contra violência policial

Atualizado

Trânsito ficou interrompido na avenida Mauro Ramos. Foto: Divulgação/ND

Mais de uma dezena de moradores do Morro do Mocotó, na região central de Florianópolis, fizeram uma barricada na rua Silva Jardim, que dá acesso à Mauro Ramos e área central da cidade, em protesto contra a violência policial na comunidade. O trânsito está interrompido nos dois sentidos.

De acordo com relato de moradores, as mortes na comunidade em ações policiais têm aumentado. Eles também falam que a PM instituiu toque de recolher e que ninguém consegue sair de casa à noite.

“Meu filho levou uma surra dos policiais ontem. Eles chegam atirando e não querem saber quem é que é”, contou uma idosa, que não quis se identificar.  Outra mulher disse que o irmão foi morto há poucos dias a tiros pelos policiais.

A Polícia Militar acompanhou o bloqueio à distância e orientou os motoristas a tomarem rotas alternativas. O pelotão tático também está posicionado no local.

O comandante do 4º Batalhão PM, coronel Fernando André, informou que a Polícia Militar está realizando operações na comunidade desde agosto do ano passado, especialmente para combater o tráfico de drogas e o porte de armas, mas nega violência e abusos de autoridade. “Todos os casos são investigados pela Corregedoria. Nós temos também a Ouvidoria e esses fatos não chegaram até nós”, disse.

Por volta das 17h30 a mobilização encerrou e os moradores retornaram para suas casas. Nesse horário, uma outra manifestação ocorreu no Ticen, também contra atos de violência policial. O movimento convidou a população a comparecer na Assembleia Legislativa, no dia 27, quando será realizada audiência pública para tratar do mesmo tema.

Polícia