Moradores flagram macaco-prego e pedem ajuda para resgatá-lo em SP

Atualizado

Há uma semana, um novo visitante tem chamado a atenção de moradores da Vila Carrão, na Zona Leste de São Paulo. Um macaco-prego apareceu em cima de uma das casas do bairro.

Apelidado de Chico, desde então, ele caminha sobre casas, sobe em muros, pendura-se na fiação elétrica e também invade casas, em busca de alimentos.

Vários vídeos feitos por moradores estão circulando em redes sociais. Apesar de estarem surpresos e encantados com o macaquinho, também estão preocupados e tentam buscar ajuda para resgatar o animal.

Na quinta-feira (17), ele foi visto na Rua Dr. Alencar Guimarães, na altura do número 88.

“Quando ouvi a história, achei que era boato, mas agora eu vi o macaco. Ele está no bairro há uma semana”, conta a vendedora Kathlyn de Souza Salinas, de 23 anos.

Macaco poderia estar andando pela região há mais de dois meses – Foto: Reprodução/ Alexas Fotos/ Pixabay

Ela relata que os vizinhos ligaram para o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), mas sem sucesso.Em seguida, fez contato com a Polícia Ambiental, que orientou a acionar o Corpo de Bombeiros. Este, por sua vez, disse não fazer resgate de animais.

“Liguei para o 156 e me encaminharam para a Defesa da Fauna Paulistana, que trabalha com resgate de animais silvestres, e foi o primeiro órgão a demonstrar preocupação”, disse Kathlyn.

Em uma das casas do bairro há muitas árvores frutíferas, que vêm servindo de alimentação para o macaco. Na quarta-feira (16), os moradores tiveram retorno da Defesa da Fauna Paulistana.

O órgão acompanha o deslocamento do animal pelo meio urbano. Moradores também receberam a informação que o macaquinho, apelidado de Chico, “está foragido” há dois meses do Jardim Santo André, também na zona leste.

591 casos desde 2018

A Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente informou que o Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres (CeMaCas) recebeu de 2018 até agora 591 ocorrências envolvendo primatas. As espécies mais comuns atendidas são saguis, bugios, macacos-pregos e sauás.

Ao encontrar um animal silvestre que esteja ou pareça estar ferido ou em risco, o munícipe deve contatar a Divisão da Fauna Silvestre, com unidades nos Parques Ibirapuera e Anhanguera, pelo telefone (11) 3885-6669, de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Caso o animal observado possa ser fotografado, as imagens podem ser enviadas para o número 96715-5424 (pelo aplicativo whatsapp).

Em relação à ocorrência na Rua Dr Alencar Guimarães, não houve nenhum atendimento da Divisão da Fauna Silvestre nesta quinta-feira no endereço.

Mais conteúdo sobre

Meio Ambiente