Moradores relatam experiência com incêndio no Parque Serra do Tabuleiro, em Palhoça

Atualizado

Por volta das 15h de quarta-feira (11), o caseiro Fábio Camilo auxiliava os bombeiros a abafar alguns pequenos focos de incêndio que se aproximavam da propriedade de um vizinho. “Onde eu moro tem apenas fumaça, tenho que ajudar para que o fogo não chegue nas casas e nem atravesse para o lado de lá na minha casa”, explicou.

Camilo disse que mora no local há muitos anos e o incêndio na região é recorrente. “Fazia tempo que não acontecia assim, tão grande, mas não é novidade para quem mora aqui. Isso é uma tristeza”, disse.

Mesmo no fim do dia, os helicópteros ainda estavam presentes no local – Flávio Tin/ND

A vizinha Julia Ondina da Silva dos Santos tem ainda mais tempo de histórias. Moradora do local há quase 40 anos, Julia lembra do dia que o fogo chegou “bem perto” da cerca da casa. “Fico dentro de casa para não respirar tanta fumaça, mas estou ligada na direção do vento. O vento Norte atrapalha muito aqui”, reclamou.

Mais adiante das casas de Fábio e Júlia está a comunidade de Morretes 2 onde um grupo de bombeiros trabalhava para conter alguns focos que se aproximavam das casas. Observando o trabalho, o agricultor Ailton Jorge reclamava de mais um incêndio no parque.

Jorge mora na localidade há 55 anos e lamenta a destruição. “Minha família teve engenho de farinha aqui, temos toda história da nossa família nessa terra e colocam fogo em tudo”, desabafou.

Natalícia Maria da Silveira também lamentou o avanço do fogo pelo parque. “Sei que tem fogo aqui desde criança, mas antes não tinha casa para o incêndio destruir”, apontou.

Leia toda a cobertura

Meio Ambiente